Angola e Moçambique doam mais fundos ao PAM do que a China

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

9 de outubro de 2020

Os governos de Moçambique e Angola doaram até agora este ano mais fundos para o Programa Alimentar Mundial (PAM) do que a China, a segunda maior economia do mundo, revelam dados da própria organização.

Com efeito, o PAM, que galardoado hoje com o Prêmio Nobel da Paz, indicou que até ao passado dia 3 de outubro, tinha recebido contribuições no valor 6 mil e 356 milhões de dólares de vários Estados, sendo o principal contribuinte os Estados Unidos com 2 bilhões e 733 milhões de dólares.

Nos lugares seguintes, estão Alemanha, com 964 milhões, e a Comissão Europeia, com quase 423 milhões.

A China, a segunda maior economia do mundo, aparece na 39ª posição, com quatro milhões de dólares, abaixo de Moçambique (32ª), com quase 12 milhões de dólares, e Angola (37ª), com 4,5 milhões de dólares.

No ano passado, a China doou 30,5 milhões de dólares ao PAM, de um total de contribuições a nível mundial de pouco mais de 8 bilhões de dólares.

Os Estados Unidos foram o principal doador com 3 bilhões e 336 milhões de dólares, seguidos da Alemanha e Reino Unido.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com