Angola: vendedoras ambulantes vivem crise devido a pandemia de covid

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

9 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Por VOA News

As mulheres vendedeiras (vendedoras ambulantes), conhecidas por zungueiras em Angola, queixam-se de viverem uma verdadeira crise com a pandemia de covid-19.

Entre as queixas, dizem que os bens comercializados por elas estão cada vez mais desvalorizados e que nada melhorou com o mandato do presidente João Lourenço.

Isabel Francisco, mãe de cinco filhos e que vende nas ruas do município de Viana, diz que no passado era possível, embora com alguma dificuldade, comercializar os produtos, o que se tornou impossível nos últimos dias. “Depois da doença o negócio piorou, não há lucro, o negócio está difícil, os fiscais não deixam vender, estamos a viver momentos duros”, lamenta Francisco.

A também zungueira Isabel António reconhece que, no passado, os preços dos produtos subiam, mas não como nos dias de hoje. “Com este presidente, as coisas estão mais difíceis, achas que uma mãe vende com dois mil kwanzas? Isso é vida?”, questionou na conversa com a VOA.

Por seu lado, o presidente da Associação de Vendedores Ambulantes de Angola, José Cassoma, corrobora que o poder de compra das famílias baixou e, por isso, as zungueiras ficam sem clientela. “A pandemia contribui gravemente para a (piora) das vidas das famílias, uma vez que muitos foram para o desemprego e, deste modo, perderam o poder de compra”, afirma Cassoma.

Dados do governo e de organizações internacionais têm apontado por uma queda do poder de compra das pessoas, devido à pandemia e também à crise econômica que se arrasta há anos com a queda do preço do petróleo.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit