Amorim diz que Petrobras pode deixar Equador caso não haja acordo com o governo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

8 de outubro de 2008

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, afirmou hoje (8) que a Petrobras pode deixar o Equador, se não houver acordo entre a empresa e o governo daquele país, repetindo o que disse ontem (7) o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele acrescentou, no entanto, que a estatal brasileira pecisa ser compensada por seus investimentos.


Se as condições não forem favoráveis, no final das contas, a Petrobras sai. Desde que possa sair adequadamente, sendo compensada pelos investimentos que tiver feito.
'


No último sábado, o presidente do Equador, Rafael Correa, ameaçou estatizar o Campo 18 da Petrobras naquele país, no qual são produzidos 32 mil barris por dia. Correa quer que a estatal brasileira renegocie o contrato de exploração no país.



Fontes