Algodão colorido da Paraíba pode ter indicação de procedência do Inpi

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

27 de julho de 2009

Brasil


A Cooperativa de Produção Têxtil e Afins do Algodão da Paraíba (CoopNatural) dará entrada hoje (27) no pedido de identificação geográfica para o algodão colorido produzido no estado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), sob a marca Fashion Natural.

A cooperativa reúne cerca de 30 associações e grupos de artesãos de vários municípios paraibanos e responde pela geração de 850 empregos diretos e indiretos. No ano passado, a entidade faturou em torno de R$ 3 milhões, elevando as vendas em 40%.

A diretora da Coopnatural, Maysa Gadelha, disse à Agência Brasil que o selo do Inpi vai criar uma referência para o algodão colorido da Paraíba, cultivado de forma orgânica pela maioria dos produtores e certificado pela Associação de Certificação Instituto Biodinâmico (IBD). “Vai manter e melhorar o padrão de qualidade para atrair mais clientes e dar maior visibilidade ao algodão colorido.”

A coordenadora-geral de Outros Registros e Indicações Geográficas do Inpi, órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Maria Alice Calliari, ressaltou que essa certificação caracteriza produtos de uma região específica. “A identificação geográfica é muito ligada à origem do produto”.

A identificação do Inpi caracteriza uma região, como a dos vinhos Bordeaux, da França, que se tornou conhecida pela sua reputação ou pelo vínculo que o produto tem com o meio geográfico da região onde é fabricado, em termos de solo, clima ou vegetação. Esses fatores influenciam a especificidade, cor ou sabor do produto. “Esse é o principal atributo da indicação geográfica”, esclareceu Maria Alice.

Além disso, a indicação de procedência amplia a competitividade do produto, aumentando as chances de exportação. “Ele, na realidade, se torna um produto único que fideliza muito o consumidor, porque é específico de uma região que tem certas características que determinam essa diferenciação do produto no mercado”, explica a coordenadora-geral.

Até agora, o Inpi já concedeu a certificação de origem a seis produtos brasileiros: o vinho do Vale dos Vinhedos (RS), a carne do Pampa Gaúcho (RS), o café do Cerrado mineiro (MG), a cachaça de Paraty (RJ), o couro do Vale dos Sinos (RS) e as uvas e mangas do Vale do Submédio São Francisco (BA/PE). Caso o pedido do algodão colorido do Vale do Seridó (PB) seja aprovado, representará o segundo produto nordestino com o selo de procedência do Inpi.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati