Alepo está cercada

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Imagem do conflito que já dura desde Julho de 2012

13 de fevereiro de 2016

Síria — A escassez de bens essenciais para os seus habitantes é cada vez mais reduzida, sendo que os preços de muitos alimentos básicos dispararam. Esta cidade que já foi reconhecida pela sua economia e gastronomia está dividida em combates e os comerciantes têm enormes dificuldades para manter os seus negócios sendo que muitos já não têm provisões. Estagnou o acesso ao óleo de combustível para manter geradores, padarias e veículos a trabalhar. Alguns habitantes queixam-se que não têm combustível para manterem as famílias aquecidas face ao frio que se faz sentir. O regime de Damasco consegue assim provocar o medo nos habitantes de Alepo devido ao corte da principal rota de abastecimento que ligava a cidade à Turquia. Os 300 000 habitantes encontram-se sitiados tendo apenas a esperança de passar a fronteira para a Turquia recorrendo a traficantes que cobram somas muito altas que não estão alcance de todos. A possível fuga da cidade encontra-se através de uma estrada de nome Castello que faz depois a ligação para a Turquia, sendo este caminho mais longo e perigoso em comparação com o caminho anteriormente utilizado. A situação em Alepo continua a piorar segundo o alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra´ad al-Hussein que manifestou estar alarmado com a situação. A ONU indica que desde 1 de Fevereiro a guerra deslocou 51 000 pessoas que se refugiaram em campos junto da fronteira turca.

Fonte


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati