Agências da ONU apelam por US$ 4,1 bilhões para ajudar deslocados internos e refugiados ucranianos

26 de abril de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Duas agências da ONU estão lançando apelos multibilionários para ajudar o número crescente de refugiados da Ucrânia e pessoas deslocadas dentro do país.

O agravamento da situação na Ucrânia levou o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários, OCHA, a dobrar seu apelo inicial de US$ 1,1 bilhão. Esse apelo foi lançado logo depois que a Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro.

Desde então, o OCHA estima que o número de pessoas que precisam de ajuda humanitária na Ucrânia aumentou de 12 milhões para 15,7 milhões.

O porta-voz do OCHA, Jens Laerke, disse que o apelo revisado de sua agência por US$ 2,25 bilhões ajudará 8,7 milhões das pessoas mais afetadas nos próximos seis meses.

“O apelo abrange uma série de apoios, desde assistência em dinheiro, segurança alimentar e meios de subsistência, saúde, abrigo, proteção e água, saneamento e higiene, para mencionar algumas das intervenções maiores… O apoio internacional contínuo será essencial para capacitar os humanitários na Ucrânia para continuar a alcançar aqueles cujas vidas foram prejudicadas pela guerra”, disse ele.

A agência de refugiados da ONU também revisou seu apelo inicial para cima. Agora, está buscando US$ 1,85 bilhão para apoiar 8,3 milhões de refugiados ucranianos e comunidades que os hospedam em oito países vizinhos.

O número de refugiados esperados é mais que o dobro do número estimado de quatro milhões que o ACNUR previu que precisariam de ajuda.

A porta-voz do ACNUR, Shabia Mantoo, chama a situação atual de altamente dinâmica e fluida. Em apenas dois meses, ela observa, 5,2 milhões de refugiados fugiram da Ucrânia em busca de proteção internacional.

“Ninguém sabe dizer exatamente quando chegaremos a esse número de 8,3 milhões. Mas se olharmos para as tendências até agora, esse deslocamento foi em uma escala tão expansiva. E a rapidez disso não vimos nos últimos tempos. Então, esses deslocamentos ainda estão ocorrendo todos os dias. A cada hora vemos pessoas continuarem a fugir da Ucrânia”, disse ela.

Fontes