Agência de risco Moody’s concede “grau de investimento” para a dívida pública do Brasil; Henrique Meirelles diz que a classificação significa que o país está saindo forte da crise

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Agência Brasil

22 de setembro de 2009

São Paulo, SP, Brasil

A Moody´s, uma principais agências internacionais de risco, com sede nos Estados Unidos, decidiu elevar ao nível de “grau de investimento” a dívida pública brasileira (externa e interna). A avaliação brasileira subiu de “Ba1” para Baa3”. Com isso, o país já tem avaliação positiva de todas as maiores agências avaliadoras, incluindo a Standard & Poors e a Fitch.

O “grau de investimento” permite que o governo brasileiro pague juros menores ao vender títulos no mercado internacional e local. Um dos efeitos práticos é um espaço maior para redução da taxa de juros brasileira.

Segundo o comunicado da Moody´s, o Brasil atravessou bem a instabilidade financeira internacional no último ano, com “uma modesta e rápida contração do PIB”. Também pesou na decisão a solidez dos bancos brasileiros que, ao contrário de norte-americanos e europeus, não quebraram.

“O upgrade [aumento da nota] reflete o reconhecimento da Moddy´s em relação à capacidade do país em absorver o choque da crise, incluindo as medidas tomadas pelas autoridades”, disse o responsável pela avaliação de países latino-americanos da Moody´s, Mauro Leos.

Apesar da melhora de avaliação, a Moody´s espera que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve ter uma queda em 2009 e que as contas públicas vão sofrer uma deterioração neste ano.

Henrique Meirelles

A classificação hoje (22) da economia brasileira como grau de investimento pela agência de classificação de risco Moody’s foi “um acontecimento importante” e demonstra que o Brasil está saindo da crise econômica mais forte do que a maioria dos países, disse o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.


Tudo isso mostra que o Brasil tem condições de sair de fato mais forte dessa crise. Uma agência como essa, conservadora, considera o país vencedor, isto é de fato um selo que confirma tudo aquilo que está sendo falado pelo presidente [ Luiz Inácio Lula da Silva ].
Henrique Meirelles


Segundo Meirelles, a expectativa é de que outras agências de classificação, como a S&P (Standard & Poor’s), façam um movimento similar ao da Moody’s, que, além de elevar o rating (pontuação) brasileiro, também deu uma perspectiva positiva à dívida do país. “O mínimo que a S&P pode fazer é empatar o jogo”.

Segundo o presidente do BC, a classificação dada pela Moody’s poderá significar uma melhora na qualidade dos investimentos no país.


O fato de ser a última [agência a dar o grau de investimento] tem uma consequência importante, que não é necessariamente de curto prazo. É a chamada melhora da qualidade dos investimentos. Isto é muito importante para o país. Não podemos melhorar só o fluxo, temos que melhorar também a qualidade dos investimentos. Quanto melhor a perspectiva e a reputação do país, mais teremos investimentos de longo prazo
Meirelles


Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati