Agência de risco Moody’s concede “grau de investimento” para a dívida pública do Brasil; Henrique Meirelles diz que a classificação significa que o país está saindo forte da crise

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Agência Brasil

22 de setembro de 2009

São Paulo, SP, Brasil

A Moody´s, uma principais agências internacionais de risco, com sede nos Estados Unidos, decidiu elevar ao nível de “grau de investimento” a dívida pública brasileira (externa e interna). A avaliação brasileira subiu de “Ba1” para Baa3”. Com isso, o país já tem avaliação positiva de todas as maiores agências avaliadoras, incluindo a Standard & Poors e a Fitch.

O “grau de investimento” permite que o governo brasileiro pague juros menores ao vender títulos no mercado internacional e local. Um dos efeitos práticos é um espaço maior para redução da taxa de juros brasileira.

Segundo o comunicado da Moody´s, o Brasil atravessou bem a instabilidade financeira internacional no último ano, com “uma modesta e rápida contração do PIB”. Também pesou na decisão a solidez dos bancos brasileiros que, ao contrário de norte-americanos e europeus, não quebraram.

“O upgrade [aumento da nota] reflete o reconhecimento da Moddy´s em relação à capacidade do país em absorver o choque da crise, incluindo as medidas tomadas pelas autoridades”, disse o responsável pela avaliação de países latino-americanos da Moody´s, Mauro Leos.

Apesar da melhora de avaliação, a Moody´s espera que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve ter uma queda em 2009 e que as contas públicas vão sofrer uma deterioração neste ano.

Henrique Meirelles

A classificação hoje (22) da economia brasileira como grau de investimento pela agência de classificação de risco Moody’s foi “um acontecimento importante” e demonstra que o Brasil está saindo da crise econômica mais forte do que a maioria dos países, disse o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.


Tudo isso mostra que o Brasil tem condições de sair de fato mais forte dessa crise. Uma agência como essa, conservadora, considera o país vencedor, isto é de fato um selo que confirma tudo aquilo que está sendo falado pelo presidente [ Luiz Inácio Lula da Silva ].
Henrique Meirelles


Segundo Meirelles, a expectativa é de que outras agências de classificação, como a S&P (Standard & Poor’s), façam um movimento similar ao da Moody’s, que, além de elevar o rating (pontuação) brasileiro, também deu uma perspectiva positiva à dívida do país. “O mínimo que a S&P pode fazer é empatar o jogo”.

Segundo o presidente do BC, a classificação dada pela Moody’s poderá significar uma melhora na qualidade dos investimentos no país.


O fato de ser a última [agência a dar o grau de investimento] tem uma consequência importante, que não é necessariamente de curto prazo. É a chamada melhora da qualidade dos investimentos. Isto é muito importante para o país. Não podemos melhorar só o fluxo, temos que melhorar também a qualidade dos investimentos. Quanto melhor a perspectiva e a reputação do país, mais teremos investimentos de longo prazo
Meirelles


Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati