Adeptos do esperanto defendem adoção do idioma no ensino médio

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de junho de 2009

Brasil


Projeto (PLS 27/08) do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) torna obrigatório o ensino de esperanto, em escolas de ensino médio, sempre que houver demanda suficiente para isso. A proposta motivou adeptos do idioma a se reunirem, na manhã desta sexta-feira (19), para videoconferência, no auditório do Interlegis.

O esperanto é uma língua planejada, no final do século XIX, para se tornar um idioma a comum a todas as nações. O objetivo do polonês Ludwik Zamenhof foi diminuir as dificuldades de comunicação, inclusive como forma de eliminar atritos entre os povos. Este propósito pacifista foi ressaltado pelo senador: "O esperanto tem um espírito pacifista".

Para o ex-presidente da Liga Brasileira de Esperanto Lício de Almeida Castro, inserir o esperanto no currículo escolar, mesmo que optativamente, significa dar visibilidade cada vez maior à língua.

"O projeto vai expandir ainda mais a língua e isso será um apoio muito forte ao movimento de defesa do esperanto", garantiu Lício à Agência Senado.

O projeto está tramitando em decisão terminativa na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). O relator, senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), apresentou parecer favorável à aprovação da matéria.

Fontes



Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati