Adaga mogol avaliada em mais de £ 1 milhão em risco de deixar o Reino Unido

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

10 de julho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Imagem da adaga e da bainha

Uma adaga e bainha da época do Império Mogol correm o risco de deixar o país, a menos que um comprador do Reino Unido possa ser encontrado para salvar o trabalho para a nação. Propriedade de Robert Clive, uma figura importante na Índia britânica, e coletada durante seu tempo na Índia, a adaga provavelmente foi adquirida por Clive em 1757 após sua vitória na Batalha de Plassey.

Avaliada em £ 1.120.000, a adaga tem um punho de jade de formato incomum com um arranjo incomparável de pedras preciosas, algumas de tamanho considerável, enquanto a lâmina é um belo exemplo de aço aguado indiano. Datada de 1650, a capa de brocado de seda da bainha de madeira é iraniana, demonstrando a influência do Irã na Índia durante o período Mogol.

O fato de que este punhal reteve todos os seus componentes, incluindo as pedras preciosas, é excepcional.

A Ministra da Cultura, Caroline Dinenage, disse que "este belo exemplo de punhal e bainha Mogol tem muito a nos ensinar tanto sobre os britânicos na Índia quanto sobre a natureza dos dons diplomáticos da época. Espero que um comprador residente no Reino Unido seja encontrado para que este magnífico item possa ser estudado e apreciado por muitos anos.

A fala da Ministra segue o parecer do Comitê de Revisão sobre a Exportação de Obras de Arte e Objetos de Interesse Cultural (RCEWA) que avaliou que este é um objeto fascinante e ilustrativo da cultura e etiqueta da corte e da oferta diplomática de presentes observada nas cortes imperiais e regionais na Índia do século XVIII. Apesar da figura polêmica inegável de Robert Clive, o objeto é extremamente importante para o estudo da história dos britânicos na Índia.

O membro do Comitê Peter Barber disse que "esta adaga e bainha fabulosamente ornamentadas lançaram uma luz extremamente importante sobre a natureza das relações diplomáticas anglo-indianas em meados do século XVIII e sobre a personalidade de Robert Clive. O punho da adaga adornado de forma extravagante é estilisticamente atípico no trabalho Mogol. Reveladoramente para a mentalidade da época, ele pode ter sido alterado e enriquecido para se parecer com o que o doador imperial ou principesco - tentando particularmente bajular e ganhar influência com seu todo-poderoso receptor - pensava que parecia europeu e, portanto, familiar para Clive. O próprio esplendor da adaga e seu punho ornamentado - e o fato de que as pedras preciosas não terem sido removidas como geralmente acontecia com presentes diplomáticos - também fornecem evidências importantes na reavaliação contínua da personalidade e conduta de Clive. Espero que possam ser retidos neste país para que possam ser pesquisados ​​como merecem e possam, quando exibidos, ilustrar um capítulo importante na longa história do envolvimento do Reino Unido com o subcontinente indiano".

O RCEWA recomendou a colocação de uma "faixa de proibição de exportação" temporária nos objetos com base no fato de que sua saída do Reino Unido seria um infortúnio porque eles são de grande importância para o estudo das armas Mogóis do século XVIII.

A decisão sobre o pedido de licença de exportação para a peça será adiada até 8 de outubro de 2021. Esta pode ser prorrogada até 8 de fevereiro de 2022 se houver uma intenção séria de levantar fundos para comprar os objetos pelo preço recomendado de £ 1.120.000.


Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit