Activista Laurinda Gouveia apresenta queixa contra a polícia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

A estudante diz ter sido agredida por João Kiala, comandante da esquadra da Ilha do Cabo.

4 de dezembro de 2014

A activista Laurinda Gouveia, brutalmente espancada por elementos da Polícia no passado dia 23 de Novembro, formalizou uma queixa contra os agressores na quinta esquadra da corporação em Luanda e deverá ser submetida a exames periciais para se determinar a gravidade das lesões.

Antes, a jovem estudante deslocou-se com o mesmo objectivo à sede da Organização da Mulher Angolana (OMA), afecta ao MPLA, no poder, mas não foi atendida por suposta ausência da pessoa abalizada na matéria tendo sido aconselhada a regressar num outro dia.

Cerca de duas semanas depois da agressão a que foi vítima, Laurinda Gouveia diz que tem estado a recuperar fisicamente, mas está agora a ser pressionada psicologicamente pela sua própria família que a quer ver fora de casa.

Todos temem que lhes possa suceder o mesmo que ela.

Pela primeira vez, a jovem universitária identificou o oficial que comandou a agressão contra si como sendo o oficial João Kiala, comandante da esquadra da Ilha do Cabo e uma figura que conhecera em anteriores manifestações.

“Primeiro deu-me um soco e depois bateu-me com uma barra de ferro”, denunciou.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati