AP: Governador e prefeitos avaliam relatório epidemiológico para definir novos decretos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

10 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O governador do Amapá, Waldez Góes, presidiu neste sábado, 10, uma reunião virtual com os prefeitos e o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp) para discutir as medidas que farão parte dos decretos estadual e municipais baseadas nas informações atualizadas do relatório epidemiológico. As próximas regras serão anunciadas no domingo, 11.

Durante a reunião, foi apresentado um relatório epidemiológico produzido com base nas medidas de proteção a vida adotadas pelo Governo do Estado e municípios. Os dados apontam redução no ritmo de transmissão que está em 1.03, que chegou a estar em 1,14 no dia 25 de março e depois começou a cair. O surgimento de novos casos também apresentou uma redução de 35,5% nas últimas semanas, ou seja, as medidas de proteção à vida foram responsáveis para evitar novos casos no Estado, de acordo com o relatório.

As medidas de proteção à vida também ajudaram a reduzir em 13,94% o número de internações nas últimas semanas, porém, o número de óbitos durante este período apresentou aumento. De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde, Dorinaldo Malafaia, esse aumento aconteceu devido ao agravamento das pessoas que estavam internadas antes do lockdown e que não resistiram às complicações vindo a óbito. Nas próximas semanas esse número tende a cair devido a redução no número de internações.

O governador Waldez Góes ressaltou que mesmo com os números apresentados, o Estado vai continuar com as medidas de proteção à vida, que devem ser anunciadas neste domingo. O governador frisou que na semana que vem deverá ter um novo relatório epidemiológico, em caso de alterações nos dados, o Governo do Estado poderá adotar medidas mais rígidas ou não.

“Importante destacar que esses indicadores são reflexos das medidas que estão sendo tomadas em conjunto. Vale ressaltar que essa diminuição na curva de transmissibilidade e internações, não significa baixar a guarda e relaxarmos nas medidas de prevenção e combate. Ainda temos muito a avançar nessa luta e continuar com as medidas vai nos ajudar a reduzir ainda mais estes números”, complementou Góes.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit