Aécio diz que quer ser lembrado como presidente que revolucionou a educação

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

15 de outubro de 2014

Brasil

Em ato político com prefeitos de partidos aliados, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse hoje (15) que, se for eleito, quer ser lembrado no futuro como o “presidente que revolucionou a educação” no país. No evento, Aécio falou principalmente sobre seu projeto para a educação, lembrando que hoje é o Dia do Professor.

“Se vencer as eleições, e puder escolher uma marca para ser lembrado no futuro, quero ser lembrado como o presidente que revolucionou a educação no Brasil". Segundo ele, isso começa pela valorização dos professores. No encontro, o candidato reiterou o compromisso de fazer com que a União apoie os estados e municípios para que eles possam garantir o pagamento do piso salarial para os professores, a partir de janeiro.

Aécio lembrou que é deles a responsabilidade de mudar a realidade do Brasil, mais que de quaisquer outros profissionais. "A eles presto a minha homenagem e [reitero] o compromisso de garantir o apoio para que seja feito o pagamento do piso pelos estados e municípios que ainda não conseguem fazê-lo de forma adequada."

Segundo o candidato, o pagamento do piso aos professores de todo o país será o principal ponto de seu programa para a educação. Aécio informou que pretende investir também na capacitação dos professores e garantir acesso universal à escola. Ele renovou a promessa de valorizar a educação brasileira, desde a pré-escola, garantindo, até 2016, acesso universalizado a todas as crianças.

"A partir daí, vamos fundar a nova escola brasileira. Uma escola adequada, do ponto de vista físico, com equipamentos adequados, professores valorizados e capacitados. E, principalmente, vamos flexibilizar os currículos do ensino médio, adaptando-os às várias realidades de um Brasil tão plural, tão diferente como o nosso.” O senador mineiro disse também que pretende flexibilizar os currículos do ensino médio, “adaptando-os às diversas realidades do Brasil”.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati