Aécio diz que quer ser lembrado como presidente que revolucionou a educação

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bandeira do Brasil
Outras notícias sobre o Brasil
Localização do Brasil
Localização do Brasil

15 de outubro de 2014

Brasil

Em ato político com prefeitos de partidos aliados, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse hoje (15) que, se for eleito, quer ser lembrado no futuro como o “presidente que revolucionou a educação” no país. No evento, Aécio falou principalmente sobre seu projeto para a educação, lembrando que hoje é o Dia do Professor.

“Se vencer as eleições, e puder escolher uma marca para ser lembrado no futuro, quero ser lembrado como o presidente que revolucionou a educação no Brasil". Segundo ele, isso começa pela valorização dos professores. No encontro, o candidato reiterou o compromisso de fazer com que a União apoie os estados e municípios para que eles possam garantir o pagamento do piso salarial para os professores, a partir de janeiro.

Aécio lembrou que é deles a responsabilidade de mudar a realidade do Brasil, mais que de quaisquer outros profissionais. "A eles presto a minha homenagem e [reitero] o compromisso de garantir o apoio para que seja feito o pagamento do piso pelos estados e municípios que ainda não conseguem fazê-lo de forma adequada."

Segundo o candidato, o pagamento do piso aos professores de todo o país será o principal ponto de seu programa para a educação. Aécio informou que pretende investir também na capacitação dos professores e garantir acesso universal à escola. Ele renovou a promessa de valorizar a educação brasileira, desde a pré-escola, garantindo, até 2016, acesso universalizado a todas as crianças.

"A partir daí, vamos fundar a nova escola brasileira. Uma escola adequada, do ponto de vista físico, com equipamentos adequados, professores valorizados e capacitados. E, principalmente, vamos flexibilizar os currículos do ensino médio, adaptando-os às várias realidades de um Brasil tão plural, tão diferente como o nosso.” O senador mineiro disse também que pretende flexibilizar os currículos do ensino médio, “adaptando-os às diversas realidades do Brasil”.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati