43% das escolas no mundo não ofereciam local para lavar as mãos antes da pandemia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

15 de agosto de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Segundo dados do Programa Conjunto de Monitoramento da OMS/UNICEF, no ano passado em 43% das escolas em todo o mundo os estudantes não tinham acesso à água e sabão para lavar as mãos, "uma condição fundamental para que as escolas funcionem com segurança no meio da pandemia de Covid-19", explica a organização.

De acordo com o relatório, isto significa que cerca de 818 milhões de crianças não tinha acesso à uma condição básica para evitar contrair Covid e outras doenças transmissíveis. Destas, um terço - cerca 295 milhões - são da África Subsaariana.

“O acesso a serviços de água, saneamento e higiene é essencial para a prevenção e controle de infecções, e deve ser o foco principal das estratégias governamentais para a reabertura segura das escolas durante a pandemia de Covid-19", disse o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da OMS.

Alguns dados do relatório

  • nos países menos desenvolvidos, 7 em cada 10 escolas carecem de instalações básicas para lavar as mãos;
  • nos países menos desenvolvidos, 50% das escolas carece de saneamento básico e fornecimento de água;
  • 462 milhões de estudantes iam para escolas onde não havia água para lavar as mãos;
  • 355 milhões de estudantes iam para escolas onde havia água, mas não havia sabão;
  • nos 60 países com maior risco de crises de saúde e humanitárias devido a COVID-19, 3 em 4 crianças não tinham acesso à lavagem das mãos no início da pandemia;
  • 1 em cada 3 escolas em todo o mundo tinha serviço de água tratada insuficiente ou inexistente;
  • 698 milhões de crianças não tinham serviço de saneamento básico na escola.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit