400 funcionários da Câmara podem estar ligados ao esquema que alimentou o mensalão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.

27 de dezembro de 2005

Brasil

A CPI dos Correios está a analisar uma lista com o nome de aproximadamente 400 funcionários comissionados da Câmara dos Deputados que podem fazer parte do esquema (apelidado "valerioduto") operado pelo empresário Marcos Valério e que supostamente serviu para alimentar o mensalão.

A lista é a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e foi fornecida pelo Tribunal de Contas da União (TCU) há uns 15 dias. A CPI está usando um software especial utilizado pela polícia britânica e conhecido como I2 para fazer o cruzamento dos dados.

O relator da CPI, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), disse que acredita ser possível verificar a existência de um número maior de envolvidos no esquema do mensalão, incluindo novos nomes de deputados.

Fazem parte da lista os nomes de assessores de parlamentares, que podem ter atuado como intermediários dos repasses irregulares de dinheiro. Um dos nomes que aparece na lista é o da mulher do líder do Partido Progressista (PP), deputado José Janene.


Fontes