25 mortos e 73 feridos no Dnipro após ataque com mísseis

Fonte: Wikinotícias

15 de janeiro de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O número de mortos em um ataque de míssil em um prédio de apartamentos de nove andares na cidade de Dnipro, no sudeste da Ucrânia, subiu para 25 neste domingo, informou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, enquanto equipes de resgate tentavam retirar mais sobreviventes dos destroços.

Trabalhadores usaram um guindaste para tentar alcançar as pessoas presas nos últimos andares do prédio de 1.700 moradores, algumas das quais sinalizaram por ajuda com luzes em seus celulares.

"As operações de busca e resgate e o desmantelamento de elementos estruturais perigosos continuam. Ininterruptamente. Continuamos a lutar por todas as vidas", disse o líder ucraniano.

Zelenskyy disse que 73 pessoas ficaram feridas no ataque de sábado e 39 foram resgatadas até a tarde de domingo.

O general Valerii Zaluzhny, comandante-em-chefe das forças armadas ucranianas, alegou que a Rússia disparou 33 mísseis de cruzeiro no sábado, 21 dos quais foram abatidos. O comando da Força Aérea disse que o míssil que atingiu o prédio era um Kh-22 lançado da região de Kursk, na Rússia, mas que a Ucrânia não possui um sistema capaz de interceptar esse tipo de arma.

O Ministério da Defesa da Rússia reivindicou a responsabilidade pelos ataques com mísseis na Ucrânia, mas não mencionou o ataque ao edifício residencial Dnipro.

"Todos os alvos designados foram atingidos", disse o ministério no Telegram. "O objetivo do ataque foi alcançado." Ele disse que mísseis foram disparados "no sistema de comando e controle militar da Ucrânia e instalações de energia relacionadas".

A infraestrutura também foi danificada nas regiões de Lviv, Ivano-Frankivsk e Odesa, bem como em Kharkiv e Kiev.

Os ataques causaram apagões em várias regiões. No oeste de Lviv, o governador, Maksym Kozytskyi, disse que pode haver interrupções no fornecimento de energia e água devido a danos causados ​​por mísseis.

Outra instalação de energia foi atingida no oeste de Ivano-Frankivsk, de acordo com a governadora Svitlana Onyshchuk.

Fontes