"Não posso dizer que estou feliz com o acordo", sobre orçamento, diz Donald Trump

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de fevereiro de 2019

Estados Unidos —

"Não posso dizer que estou feliz com o acordo", sobre orçamento, diz Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, diz não estar feliz com o acordo de princípios sobre o orçamento de algumas agências federais conseguido na segunda-feira, 12, entre congressistas democratas para evitar um novo encerraemnto do Governo.

“Não acho que vocês verão um novo encerramento”, disse o Presidente a jornalistas na Casa Branca nesta terça-feira, 12, acrescentando, no entanto, que vai "ter de o estudar".

"Não estou feliz com ele. Não posso dizer que estou feliz. Não posso dizer que estou empolgado”, sublinhou Trump, reiterando não querer uma nova paralisação, mas que, caso ocorra, será por culpa dos democratas.

O Presidente tem até sexta-feira para aprovar o acordo depois de a 25 Janeiro ele ter aceite um acordo de 21 dias para reabrir o Governo depois de 35 dias encerrado parcialmente.

Ainda não foram divulgados detalhes do acordo conseguido ontem à noite, mas, segundo a imprensa americana, a negociação inclui 1,375 mil milhões de dólares para a construção de barreiras verticais de aço na fronteira com o México, e não um muro de betão, como anteriormente defendido pelo presidente Donald Trump.

O valor acordado permite ainda a construção de 89 quilómetros de barreiras.

O Presidente tem pedido 5,7 mil milhões de dólares para a construção de 215 quilómetros de barreiras.

Por outro lado, o acordo deve omitir um limite máximo de imigrantes detidos no país, que era uma exigência democrata, segundo o jornal "The Washington Post".

Os democratas argumentam que, ao permitir que o Serviço de Imigração e Alfândegas dos EUA (ICE) aumente o número de leitos de detenção de 40.520 para 52.000, como quer a administração Trump, a agência terá a capacidade de perseguir uma faixa maior de imigrantes sem documentos, incluindo aqueles sem antecedentes criminais.

Os democratas defendem limitar a capacidade dos centros de detenção para 35.520 pelo restante do ano fiscal de 2019.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati