"Condições dos reclusos são deploráveis", diz analista moçambicano

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Moçambique.

Agência VOA

Moçambique, segundo a Freedom House continua, como no passado, parcialmente livre.

29 de janeiro de 2015

Apesar da relativa melhoria registada em Moçambique em matéria de direitos humanos, as condições dos reclusos nas cadeias ainda são deploráveis, salientam analistas moçambicanos.

Segundo o relatório da organização Freedom House divulgado esta quinta-feira, 29, o país continua como no passado, estando parcialmente livre, e numa escala em 1 (o melhor) e sete (o pior) tem quatro em liberdade politica e quatro em liberdades civis.

O constitucionalista Giles Cistac diz que, apesar da relativa melhoria, as condições dos reclusos nas cadeias ainda são deploráveis.

Ele considera haver esforços das autoridades moçambicanas, de forma espontânea ou sob pressão das organizações de protecção dos direitos humanos têm vindo a fazer, mas ainda há muito por ser feito e aponta como exemplo a questão do direito das minorias sexuais que, segundo ele, é negado em Moçambique.

"Nas prisões moçambicanas, a maior parte das recomendações de organizações de protecção dos direitos humanos não são cumpridas", lamentou Giles Cistac, exemplificando que não há separação entre criminosos de alto nível e jovens condenados a penas menores.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati