Restrições em Mianmar impedem esforços para ajudar vítimas do ciclone Mocha

Fonte: Wikinotícias

17 de maio de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Milhares de habitantes foram o evacuados no estado de Rakhine antes do ciclone tocar terra

Enquanto as Nações Unidas e as agências de ajuda internacional correm para fornecer ajuda vital aos sobreviventes do ciclone Mocha em Bangladesh e em Mianmar, os humanitários expressam frustração com as restrições burocráticas e políticas impostas pelos governantes militares de Mianmar.

O ciclone Mocha, a tempestade mais poderosa a atingir a Baía de Bengala nos últimos 10 anos, atingiu três terras com força brutal no domingo, arrancando árvores, arrancando telhados e quebrando linhas de energia enquanto ventos de 250 quilômetros por hora varriam a região.

A primeira área a ser atingida foi o estado de Rakhine, onde vivem cerca de 600.000 muçulmanos rohingya, quase 150.000 deles em campos para deslocados internos.

"O acesso é difícil principalmente no norte de Rakhine, onde o tufão atingiu severamente", disse Rajeeve K.C., delegado de gerenciamento de risco de desastres da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC).

Falando da capital de Mianmar, Yangon, ele disse que "as regiões de Chin e Sagaing do Norte também são áreas fortemente restritas em termos de acesso".

Desordem, violência

A agitação civil e a violência armada aumentaram em ambos os lugares desde que a junta militar deu um golpe contra o governo democraticamente eleito em 1º de fevereiro de 2021.

Mianmar não comentou a questão das restrições, mas a mídia estatal disse na terça-feira que o chefe da junta, Min Aung Hlaing, visitou a capital de Rakhine, Sittwe, para avaliar os danos.

Notícia Relacionada

Fontes