Presidente de Cabo Verde sobre Alex Saab: "Não tenho como intervir, não posso"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, afirmou esta semana que a única decisão válida sobre a extradição ou não do seu país para os Estados Unidos do empresário colombiano com ligações ao governo venezuelano de Nicolás Maduro, Alex Saab, é a do Tribunal Constitucional daquela nação africana e absteve-se de intervir no caso.

“Posso ter uma opinião (sobre o caso), mas é inútil. A opinião que conta é a opinião do Tribunal Constitucional. A decisão que interessa aqui é a dos tribunais, porque tudo o que o Tribunal Constitucional decidir é decidido e executado ”, disse ele em conversas com a imprensa na terça-feira, refletidas pelo jornal local Noticias do Norte e pela mídia venezuelana.

Saab, 49, está detido desde junho de 2020 e recentemente colocado em prisão domiciliária em Cabo Verde , quando o seu avião parou para reabastecer na ilha do Sal. Os Estados Unidos o acusam de liderar uma quadrilha internacional de branqueamento de capitais e de subornos a favor de o governo de Maduro, que o defende e o identifica como seu enviado especial para assuntos humanitários na África e no Oriente Médio.

A Suprema Corte reiterou em março passado que a Saab deveria ficar sob custódia dos Estados Unidos , apesar de uma decisão de um tribunal regional que determinou que ela deveria ser libertada. Há uma semana, um comitê especial do Conselho de Direitos Humanos pediu à nação africana que "se abstivesse de extraditar Saab".

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit