ONU e líderes mundiais condenam ataque do Hamas contra Israel

Fonte: Wikinotícias

8 de outubro de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A Organização das Nações Unidas e diversos líderes comentaram os ataques do Hamas contra Israel hoje.

O alto comissário da ONU para Direitos Humanos, Volker Turk, afirmou: "Estou chocado e horrorizado com as notícias desta manhã de que centenas, possivelmente milhares de foguetes indiscriminadamente disparados por grupos armados palestinianos contra Israel, e que israelitas foram mortos e centenas ficaram feridos".

"Estou também profundamente preocupado com as notícias de que civis israelitas foram feitos reféns. Este ataque está a ter um impacto terrível nos civis israelitas. Os civis nunca devem ser o alvo de um ataque. Registo também que as forças israelitas responderam com ataques aéreos na densamente povoada Faixa de Gaza, tendo alegadamente matado pelo menos cinco pessoas. Exorto-os a tomar todas as precauções para evitar vítimas civis na Faixa de Gaza", afirmou ele.

Emmanuel Macron, presidente da França, declarou: “Conversei com o presidente Herzog e o primeiro-ministro Netanyahu. Eu condeno os ataques lançados a partir de Gaza contra Israel, seus soldados e seu povo. A França se solidariza com Israel, compromissada com a sua segurança e com o seu direito de se defender”.

“Notícias horríveis vindas hoje de Israel. Estamos profundamente chocados com os disparos de foguetes de Gaza e com a escalada da violência. A Alemanha condena estes ataques do Hamas e apoia Israel”, disse Olaf Scholtz, primeiro-ministro da Alemanha. “Eu condeno de maneira inequívoca o ataque lançado por terroristas do Hamas contra Israel. Isto é terrorismo em sua forma mais desprezível”, afirmou Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia.

“Terríveis notícias de Israel. Minhas condolências a todos que perderam familiares ou amigos próximos no ataque terrorista. Temos fé que a ordem será restaurada e os terroristas serão derrotados”, afirmou Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia. “O direito de autodefesa de Israel é inquestionável”, concluiu ele.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi publicou no X, antigo Twitter: “Profundamente chocado com as notícias dos ataques terroristas em Israel. Os nossos pensamentos e orações estão com as vítimas inocentes e as suas famílias. Estamos solidários com Israel nesta hora difícil”.

Já o Irã apoiou as ações do Hamas. “Esta operação […] é o movimento espontâneo de grupos de resistência e do povo oprimido da Palestina em defesa de seus direitos inalienáveis e uma reação natural às políticas provocativas e belicosas dos sionistas”, disse Nasser Kanaani, porta-voz da chancelaria do Irã.

Notícias relacionadas

Fontes