ONU: "retomada das hostilidades na Faixa de Gaza é catastrófica"

Fonte: Wikinotícias

02 de dezembro de 2023

link=mailto:?subject=ONU:%20"retomada%20das%20hostilidades%20na%20Faixa%20de%20Gaza%20é%20catastrófica"%20–%20Wikinotícias&body=ONU:%20"retomada%20das%20hostilidades%20na%20Faixa%20de%20Gaza%20é%20catastrófica":%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/ONU:_%22retomada_das_hostilidades_na_Faixa_de_Gaza_%C3%A9_catastr%C3%B3fica%22%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
link=mailto:?subject=ONU:%20"retomada%20das%20hostilidades%20na%20Faixa%20de%20Gaza%20é%20catastrófica"%20–%20Wikinotícias&body=ONU:%20"retomada%20das%20hostilidades%20na%20Faixa%20de%20Gaza%20é%20catastrófica":%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/ONU:_%22retomada_das_hostilidades_na_Faixa_de_Gaza_%C3%A9_catastr%C3%B3fica%22%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Alto Comissário da ONU (Organização das Nações Unidas) para os Direitos Humanos, Volker Türk, disse que a retomada das hostilidades na Faixa de Gaza é "catastrófico". Ele também pediu por um cessar-fogo definitivo.

Para a ONU, "a situação está além do ponto de crise", após em 07 de outubro o grupo palestino extremista Hamas atacar comunidades de Israel perto da fronteira. Israel retaliou e o governo prometeu destruir o Hamas, mas, segundo a Organização, "ao abrigo do direito humanitário internacional, Israel, enquanto potência ocupante, é obrigado a garantir que as necessidades básicas da população de Gaza, tais como alimentos, água e cuidados médicos".

Estima-se que 80% dos palestinos na Faixa de Gaza tenham sido descolacados após o início do conflito. Estima-se também que só na Faixa quase 15 mil palestinos tenham morrido devido aos ataques de retaliação de Israel.

Após uma pausa desde 24 de novembro, ontem Israel retomou a ofensiva com o objetivo de eliminar centros de atividades do grupo Hamas.

Notícias Relacionadas[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]