Saltar para o conteúdo

Khamenei aumenta pressão para impor 'padrões islâmicos' em todo o Irã

Fonte: Wikinotícias
Hijab

21 de abril de 2024

Email Facebook X WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

No fim de semana passado, quando o Irão iniciou o seu ataque aéreo contra Israel, também foi anunciada uma nova aplicação do uso obrigatório do hijab. A iniciativa se chama Plano Nour (Light).

A repressão seguiu-se a uma declaração do Líder Supremo Ali Khamenei, que disse que ignorar o hijab era uma linha vermelha que não deveria ser ultrapassada.

Na quinta-feira, a Voz da América recebeu relatos, que também também estavam circulando nas redes sociais, de agentes à paisana da República Islâmica nas ruas de numerosas cidades do Irão aplicando a lei.

Alguns observadores, reflectindo sobre as recentes declarações de Khamenei, sublinharam que a directiva veio de cima. Entre este grupo está Ehsan Soltani, um analista político.

“Há duas semanas”, disse Soltani, “Khamenei declarou oficialmente que 'o hijab é uma obrigação religiosa; quer você o aceite ou não, você deve cumpri-lo'. Durante três décadas, ele permaneceu esquivo ou afirmou: 'Não sou um especialista', sempre que uma decisão era tomada. No entanto, desta vez, ele pessoalmente deu um passo à frente apoiando a obrigatoriedade."

Desde a declaração de Khamenei, sublinhado a necessidade de aumentar a pressão para defender o que chamou de "adesão aos padrões islâmicos", o comandante da polícia declarou que seriam aplicadas medidas rigorosas para garantir a obrigatoriedade do uso do hijab a partir de 13 de Abril.

Fonte[editar | editar código-fonte]