Jordânia e Egito rejeitam qualquer deslocamento palestino para seus países

Fonte: Wikinotícias

27 de outubro de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A Jordânia liderou os apelos árabes por um cessar-fogo na guerra de Gaza, à medida que o número de vítimas aumenta. Uma invasão terrestre israelita para destruir o Hamas, alertam os analistas árabes, poderia transformar-se num conflito regional mais amplo. Os parceiros de paz de Israel, a Jordânia e o Egipto, condenam quaisquer transferências em massa de palestinianos para os seus países.

À medida que as mortes de civis aumentam e a situação humanitária se deteriora em Gaza, Israel prometeu acabar com o Hamas, designado por Israel, pelos Estados Unidos e pela União Europeia como uma organização terrorista.

O ex-ministro das Relações Exteriores da Jordânia, Marwan Muasher, disse esta semana em um painel online da Carnegie Mideast que eliminar os militantes pode ser difícil, já que o Hamas “se tornou uma ideologia e não apenas um movimento”.

Muasher alertou: “Se a máquina militar do Hamas for destruída, temo que muitos outros Hamases surgirão”.

“Soluções militares deste tipo não podem resolver este problema. Somente um processo político pode. O problema com um processo político é que não vejo quem irá liderá-lo."

Fontes