Japão se despede do ex-primeiro-ministro Shinzo Abe

12 de julho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Japoneses de luto se despediram do ex-primeiro-ministro Shinzo Abe na terça-feira.

Dezenas de pessoas comuns fizeram fila do lado de fora do Templo Zojoji, em Tóquio, para trazer flores e outros símbolos de respeito a Abe, que foi morto a tiros na última sexta-feira na cidade ocidental de Nara durante um comício de campanha. Muitos dos enlutados choraram enquanto se curvavam em oração em frente ao templo.

O Templo Zojoji foi o local de uma cerimônia privada para Abe, de 67 anos, limitada apenas a seus amigos próximos e familiares. O caixão de Abe foi então removido do templo e colocado em um carro funerário para uma longa procissão pelo centro de Tóquio até o Kirigaya Funeral Hall para cremação, com milhares de moradores alinhados ao longo da rota para dar suas despedidas finais.

O carro funerário foi programado para passar por vários locais importantes da carreira política de Abe, incluindo o escritório oficial do primeiro-ministro, o prédio do Parlamento e a sede de seu Partido Liberal Democrata.

O suposto atirador no assassinato de Abe, Tetsuya Yamagami, de 41 anos, foi imediatamente detido após atirar no ex-primeiro-ministro.

As agências de notícias japonesas dizem que Yamagani, um ex-membro das Forças de Autodefesa do país, queria matar Abe porque acreditava que ele fazia parte de um grupo religioso não especificado que ele culpava pela ruína financeira de sua mãe.

A Igreja da Unificação, um movimento religioso global fundado na Coreia do Sul na década de 1950 pelo falecido reverendo Sun Myung Moon, confirmou na segunda-feira que a mãe de Yamagami era membro, mas não comentou nenhuma doação que ela possa ter feito.

Fontes