Chanceler alemão apela aos países sul-americanos que apoiem a Ucrânia

31 de janeiro de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Brasil e outros grandes países sul-americanos rejeitaram o pedido da chanceler alemão de ajuda militar à Ucrânia.

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva disse em entrevista coletiva conjunta com o chanceler alemão Olaf Scholz, que visitou o Brasil ontem (30), que a Rússia "cometeu um erro".

O presidente Lula, porém, enfatizou: “Se um não quer, dois não brigam”. Ele disse que não forneceria munição que a Alemanha teria solicitado.

Anteriormente, o presidente argentino Alberto Fernández também disse em entrevista coletiva conjunta com o primeiro-ministro Scholz, que visitou Buenos Aires no dia 28, que "a Argentina e a América Latina não têm planos de enviar armas para a Ucrânia ou outras áreas de conflito".

O presidente chileno, Gabriel Boric, também expressou sua posição negativa sobre a ajuda militar, dizendo que não é desejável intervir na política de outros países.

Todos os três países latino-americanos que Scholz visitou desta vez votaram a favor de uma resolução condenando a invasão russa da Ucrânia na Assembleia Geral das Nações Unidas no ano passado.

Fontes