Britânico que invadiu Castelo de Windsor é considerado culpado

4 de fevereiro de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Um homem britânico que invadiu o Castelo de Windsor no dia de Natal de 2021 se declarou culpado de acusações de traição na sexta-feira em um tribunal de Londres.

Através de uma chamada de vídeo, Jaswant Singh Chail, de 21 anos, de South Hampton, se declarou culpado de um delito sob a Lei de Traição Britânica de 1842 e de ameaçar matar a rainha. Acusações sob a lei são raras, a última pessoa a se declarar culpada sob a lei foi em 1981.

Os promotores dizem que Chail foi preso pouco depois das 8h do dia de Natal de 2021 por um oficial de proteção real nas terras privadas do Castelo de Windsor. A rainha Elizabeth, que morreu em setembro de 2022 aos 96 anos, o então príncipe Charles e outros membros da família estavam hospedados no castelo durante as férias. Chail nunca esteve perto da família real.

No momento de sua prisão, Chail vestia roupas pretas com capuz, máscara e luvas. Ele teria dito ao oficial de proteção: “Estou aqui para matar a rainha”.

Os promotores disseram que Chail gravou um vídeo e o postou na plataforma de mídia social Snapchat antes de entrar no terreno do castelo. Nele, ele disse que estava arrependido pelo que estava prestes a fazer. Ele disse que era uma vingança “para aqueles que morreram no massacre de 1919”.

Ele estava aparentemente se referindo a um incidente quando as tropas coloniais britânicas abriram fogo contra civis desarmados que protestavam contra uma lei colonial na cidade de Amritsar, no noroeste da Índia. Quase 400 índios sikhs foram mortos. A Índia há muito exige um pedido de desculpas pelo incidente.

No tribunal na sexta-feira, o juiz Jeremy Baker agendou a sentença para Chail em 31 de março, e o tribunal ordenou que relatórios médicos sobre o estado mental de Chail fossem fornecidos.

Fontes