Morre primeira mulher numa luta de boxe, nos EUA

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

7 de abril de 2005

A lutadora de boxe norte-americana, Becky Zerlentes, 34 anos, morreu no último domingo, 3 de abril no que devia ser a sua última luta, antes da aposentadoria. A luta foi no dia 2 de abril, na cidade de Denver, no estado do Colorado, nos Estados Unidos da América, numa peleja pelas Luvas de Ouro. A sua oponente pelo título na categoria feminina "sênior" naquele dia foi Heather Schmitz, 32 anos.

Zerlentes recebeu um soco de nocaute no terceiro assaulto em direção à sua têmpora esquerda. Imediatamente os médicos do ringue deram a assistência adequada, mas ela nunca chegou a recuperar a consciência. Ela foi levada depois para o Hospital Geral de Denver e passou por uma cirurgia de emergência durante a noite de sábado. Ela faleceu domingo devido a sério trauma na cabeça que levou à formação de um coágulo sangüíneo no cérebro.

A sua adversária, Heather Schmitz, encontrou-se mais tarde com repórteres e exprimiu o seu pesar, ao dizer: "eu não quis machucá-la. Sinto-me muito mal sobre isto."

"Ninguém imaginou que tinha sido um soco tão forte," disse Jeanne DePriest, a responsável pela equipe de Zerlentes. "Estivemos a conversar com todo mundo o dia todo para tentar descobrir o que aconteceu." Zerlentes usava a obrigatória proteção da cabeça no momento do acidente.

Vários comentaristas falaram sobre as semelhanças coincedentes entre a morte de Zerlentes e os eventos apresentados no filme que ganhou o Oscar, Million Dollar Baby ("Menina de Ouro", no Brasil), no qual a personagem fica paralítica em conseqüência de um dano na coluna espinhal sofrido durante a última luta.

A organização USA Boxing faz parte da International Amateur Boxing Association (AIBA) — Associação Internacional de Boxe Amadora — e cuida do esporte nos EUA, considerado amador e de estilo olímpico. A organização sem fins lucrativos é responsável pela modalidade masculina desde 1888, e só começou a admitir mulheres a partir de 1993. Há atualmente 2200 boxeadoras registradas, segundo o USA Boxing, e o interesse feminino pelo esporte continua a aumentar.

"As atenções e as orações da família USA Boxing vão para a família de Becky e seu marido. Estamos profundamente entristecidos por esta perda," disse Sandy Martinez-Pino, a presidente do USA Boxing.

Após a morte trágica de Zerlentes, as autoridades da USA Boxing reafirmaram o alto nível de precauções em relação à segurança e a rigorosa inspeção das condições dos equipamentos usados no esporte amador. Segundo o website da organização, o boxe amador está na vigésima e terceira colocação na classificação de esportes mais violentos, atrás do futebol e da ginástica (Conselho de Segurança Nacional, 1996) e na oitava colocação na classificação dos esportes com mais fatalidades, atrás do futebol (americano) e mergulho (Boxing and Medicine, Human Kinetics, Illinois, 1995).

Fontes