Wikipédia em português escreve nota de repúdio ao Brasil 247

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

30 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Editores da Wikipédia em português assinaram uma nota de repúdio ao site Brasil 247, após realizarem publicações sobre sua inclusão na lista de fontes não confiáveis da enciclopédia virtual. A inclusão ocorreu após discussão encerrada no final de semana passado.

A Brasil 247 afirmou que sua inclusão na lista “foi feita por cirista”, termo que se refere aos apoiadores do político Ciro Gomes, e “por dois perfis anônimos.” A discussão pode ser lida aqui.

Em nota enviada ao jornal O Globo, que noticiou a inclusão na lista, a Brasil 247 afirmou que o editor "atua como militante político da campanha presidencial de Ciro Gomes e fez edições na Wikipédia para favorecer a página do Brasil Paralelo".

“Estamos avaliando as providências judiciais cabíveis e também comunicando o caso à Wiki Foundation (sic), uma vez que tal iniciativa fere frontalmente o princípio de neutralidade defendido pela plataforma”, termina a nota.

A própria Brasil 247 publicou uma conversa entre o editor da Wikipédia e o jornalista Leonardo Attuch, apesar de ter sido solicitado a sua não publicação.

“Eu nunca tive nem tenho vínculo com PDT ou militância cirista”, afirma ele na última mensagem. “Volto a reafirmar, não participo de militância cirista até o momento, não sou pago nem financiado por eles nem por Brasil Paralelo e estou disposto a quebrar meus sigilos para provar que a narrativa é mentirosa. Não encontraram (sic) depósitos bancários, ligações, e-mails, nada que comprovem qualquer ligação minha a Ciro Gomes, Brasil Paralelo, Globo e etc. Sou apenas um editor...”, continua ele.

No abaixo-assinado da Wikipédia, é afirmado que a Brasil 247 assediou editores e publicou sistematicamente desinformação. Os usuários “repudiam de forma veemente a manipulação e instrumentalização de que a Wikipédia e os seus editores estão a ser vítimas”, diz a enciclopédia.

“O recurso a ameaças judiciais e campanhas de intimidação e desinformação para condicionar essa liberdade de escolha é característica de regimes autoritários e repressivos, e não de sociedades livres e democráticas”, finaliza o comunicado. A nota completa pode ser lida aqui.

Paulo Jeronimo de Souza, presidente da Associação Brasileira de Imprensa, emitiu nota de repúdio à Wikipédia. “A ABI reafirma, ainda, seu compromisso com a mais ampla liberdade de informação e com a importância da diversidade de pontos de vista num regime democrático”, afirma.

A Federação Nacional dos Jornalistas afirma “o Jornalismo – como todas as atividades humanas – está sujeito a erros, mas a sua avaliação é complexa e deve se dar a partir de critérios objetivos e transparentes. E isso é o que tem feito os observatórios de mídia, que avaliam trabalhos específicos e apontam as falhas cometidas”.

O site Brasil 247 e seu fundador, Leonardo Attuch, são descritos como apoiadores do Partido dos Trabalhadores. Em junho de 2016, Attuch prestou depoimento durante a Operação Custo Brasil, um desdobramento da Operação Lava Jato.

Durante o pré-lançamento da candidatura à presidência, Ciro Gomes afirmou que o site “não é um órgão de imprensa. É um panfleto do Lula (Luiz Inácio Lula da Silva). Pago com dinheiro sujo”. O Brasil 247 nega as acusações.

A Wikipédia mantém diversos outros sites na lista de não confiáveis — um dos principais critérios para ser incluído é a publicação de informações falsas.

Fontes