Wikinotícias:Redação/Reportagens originais (23/04/2005)

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Criei o artigo Exposição de Luís Pinto no Instituto Português da Juventude em Faro, trata-se de uma reportagem original, criada a partir de uma visita á exposição e uma conversa com o autor.

Criei ainda uma categoria própria para reportagens originais.

Aceitam-se sugestões sobre a melhor forma de terminar o artigo.

--OsvaldoGago 21:50, 23 Abr 2005 (UTC)

Eu não vejo nenhum problema neste artigo em particular, todavia é necessário discutirmos um pouco sobre como trabalharemos com as reportagens originais. Deve-se aceitar reportagens originais de todo mundo ou só daqueles que participam há algum tempo da comunidade? Algum problema sério pode ocorrer se aceitarmos reportagens originais? Como ficam as reportagens originais de cunho político (neste ponto é que acho que pode acontecer problemas)?

Pessoalmente eu sou favorável a reportagens originais. Apenas tenho algumas dúvidas é na maneira de trabalharmos com ela. Gostaria de aproveitar a ocasião para discutir o assunto com as outras pessoas. --Carlosar 13:39, 24 Abr 2005 (UTC)


Também sou totalmente favorável ás reportagens originais. As suas preocupações de fiabilidade e rigor têm razão de ser, mas não podem impedir as reportagens originais, não devemos esquecer que estas são uma das principais mais valias de um projecto deste tipo. Vou investigar o que está a ser feito no Wikinotícias de língua inglesa e depois darei a minha opinião.OsvaldoGago

Sinceramente, acho que o diferencial da wikinotícias no futuro serão as reportagens originais. Gbiten 13:44, 25 Abr 2005 (UTC)

Para melhor entender o estado actual de reportagens originais:

--OsvaldoGago 20:13, 25 Abr 2005 (UTC)


Eu observei o documentos que descreve como devem ser feitas as Reportagens originais e as reportagens originais que foram escritas na Wikinews inglesa. O que eu constatei é que as reportagens são bem documentadas, com bastante evidências. Muitas reportagens usaram como fontes artigos de jornais e para algumas eu não vi muita diferença daquilo que já é publicado numa reportagem normal. Acredito que se basearmos nesses exemplos e seguirmos o que está escrito no documento sobre reportagens originais, não teremos muito problema. Afinal, não é porque é uma reportagem original, que o autor pode escrever qualquer bobagem. Ele precisa de alguma forma mostrar que o que escreve tem algum fundamento. --Carlosar 10:52, 28 Abr 2005 (UTC)


No dia 25 de abril tive uma conversa, via IRC no canal #Wikinews principalmente com e sobre reportagens originais. Estava à procura de respostas sobre um método definido para garantir a fiabilidade das reportagens originais. Na minha proposta inicial este deveria basear-se em pelo menos um dos seguintes factores:

  1. Acreditação de autores
  2. Avaliação de riscos que é mais elevado em determinados artigos
  3. Acesso aos factos pela verificação das fontes originais

Em resumo as opiniões dos participantes, os quais autorizaram a gravação da conversa foram as seguintes:

ELOQUENCE (Como Xirzon):

  • Na versão inglesa, solicitamos que os repórteres publiquem as suas notas, (na página /Notas) o que ajuda a compreender as suas acções
  • Acho que devo mencionar que na minha primeira proposta para o Wikinews, queria que as reportagens originais fossem acreditadas ou passassem por uma pessoa acreditada e os nomes dos repórteres ficassem arquivados. Houve alguma oposição a esta na base de que não era muito ao estilo dos “Wikis”, então começámos com uma abordagem mais relaxada.
  • Acho que uma história receberá naturalmente mais verificações de autenticidade, quanto mais importante for mais pessoas a observarão. Esta parte, acredito, não será necessário forçar.
  • Alguem que quer manter-se anónimo pode contactar um repórter acreditado para fazê-lo.
  • Não vamos encher o sistema de reportagens originais com regulamentos. É mais fácil ver falhas em políticas possíveis quando existe uma comunidade. Isto não quer dizer que não devesse mos pensar em formas de acreditar repórteres, etc... mas gostava de ver mais exemplos de casos para observar e mais pessoas para ter esta conversa.
  • Como disse a avaliação de riscos acontece naturalmente como uma comunidade. Estamos cientes de que a história “O novo papa quer forçar membros das outras religiões a tornarem-se católicos” requer mais atenção do que “Escola local abre uma nova cafetaria”. Acho que não necessitamos de um processo de avaliação de riscos formal para chegar a esta conclusão,
  • Quanto ao acesso às fontes originais, é isso que pretendemos com as páginas /Notas mas não podemos forçar o acesso se uma fonte quer permanecer anónima. Isto deve ser possível ou de outra forma perderemos muitas fontes potenciais.
  • Wikinews não será um grupo fechado de editores, e será composto de pessoas de muitas ideologias e ideias políticas. Estas fontes poderão estar a vontade com um determinado repórter mais não com um vasto grupo de repórteres, nos quais estarão certamente pessoas do lado oposto da questão. Nestes casos, sempre que necessário poderemos encontrar outros repórteres adicionais que confirmem a identidade da fonte e a autenticidade da informação, sempre em negociação com a fonte.
  • Ser optimistas, parece ser uma abordagem razoável.
  • Algo a ter em conta é que o tipo de pessoas que trabalha no Wikinews numa base regular, escreve notícias de rascunhos, etc... e que comecem a fazer reportagens originais são pessoas que tendem a ter uma paixão pela objectividade e pelos nossos objectivos.

PINGSWEPT:

  • No final, não vejo muita importância em estabelecer ligações entre entidades online e identidades reais. Gostaria que as identidades fossem únicas e que cada “edit” pudesse ser ligado a uma identidade. Mas não me interessa quem está por detrás da mesma.
  • Neste momento, apenas temos talvez 5 pessoas a fazer reportagens originais.
Resumo por --OsvaldoGago 20:06, 28 Abr 2005 (UTC)