Viúva do presidente haitiano diz que assassinos tinham objetivo de "matar sua visão e ideologia"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

11 de julho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Agência VOA

Os assassinos que atiraram no presidente haitiano Jovenel Moise em sua residência privada tiveram como objetivo "matar seu sonho, sua visão, sua ideologia", de acordo com a primeira declaração pública de sua viúva desde o tiroteio da madrugada de quarta-feira em um subúrbio rico de Porto Príncipe.

Falando do hospital de Miami, onde está recebendo tratamento para feridas sofridas no ataque, Martine Moise compartilhou novos detalhes sobre como os eventos se desenrolaram.

“Em um piscar de olhos, os mercenários entraram em minha casa e crivaram meu marido com balas ... sem nem mesmo dar a ele a chance de dizer uma palavra”, disse Moise na declaração de áudio em idioma crioulo postada no Twitter no sábado.

A polícia haitiana, que ainda está procurando por outros supostos integrantes do esquadrão de 28 pessoas, disse não estar claro quem os contratou para atacar a casa do presidente, ou por que.

As autoridades haitianas não revelaram o motivo do assassinato, mas dizem que o esquadrão fortemente armado incluía 26 colombianos e dois haitianos americanos.

O chefe da Polícia Nacional do Haiti, Léon Charles, disse a jornalistas na quinta-feira que 17 suspeitos - os dois haitianos americanos e 15 colombianos - foram presos, três suspeitos foram mortos e oito ainda estão foragidos.

A polícia colombiana disse na sexta-feira que pelo menos 13 ex-soldados colombianos estariam envolvidos.


Notícias relacionadas

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit