Umaro Sissoco é o novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Agência VOA

Umaro Sissoco é brigadeiro, especialista em mediação política internacional, defesa e cooperação

18 de novembro de 2016

Umaro Sissoco foi nomeado nesta Sexta-feira, 18, primeiro-ministro da Guiné-Bissau, pelo Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz

José Mário Vaz justificou a escolha com o argumento de que o novo executivo precisa do "apoio parlamentar ou pelo menos não ter a maioria contra ele".

Umaro Sissoco integra o quinto governo da legislatura iniciada em 2014 e o seu nome estava na lista de possíveis primeiro-ministro desde Outubro deste ano, quando o Presidente guineense anunciou que iria nomear novo primeiro-ministro.

A 15 de Novembro, José Mário Vaz havia demitido o governo de Baciro Djá, perfazendo assim, quatro Governos em dois anos de mandato, nomeadamente os de Domingos Simões Pereira, de Carlos Correia e de Baciro Djá, por duas vezes.

Quem é Umaro Sissoco Embaló[editar]

É um brigadeiro guineense, especialista em mediação política internacional, defesa e cooperação. No seu website destaca a sua especialidade em assuntos africanos e do Médio Oriente.

De nome completo Umaro Mokhtar Sissoco Embalo, o novo primeiro-ministro nasceu em Bissau a 23 de Setembro de 1972.

Sissoco licenciou-se em Relações Internacionais pela Universidade Técnica de Lisboa e tem Mestrado e Doutoramento pela Universidade Complutense de Madrid na área das Ciências Políticas e Sociais e Relações Internacionais, respectivamente.

Na área da Defesa e Militar, Sissoco tem no currículo Formação de Estudos de Defesa Nacional em Espanha e Formação em Inteligência, Segurança e Estratégia na Bélgica. De destacar outras formações académicas de Sissoco em Israel, Estados Unidos, Japão e África do Sul.

Umaro Sissoco, nomeado primeiro-ministro da Guiné Bissau a 18 de Novembro de 2016, fala também seis línguas: Português, Francês, Inglês, Espanhol, Árabe e Swahili.

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati