Senadores lamentam recorde de mortes por covid-19 no Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Brasil vive o pior momento da pandemia, desde que o primeiro caso de COVID-19 em território nacional foi confirmado, há pouco mais de um ano. Na quarta-feira (3), o número de mortes diárias bateu recordes e 1.910 cidadãos perderam suas vidas, somando 259.271 óbitos desde o ano passado. O recorde anterior era do dia 2 de março, com 1.641 mortes. Os números são do Ministério da Saúde.

O cenário é de pessimismo, já que a tendência de crescimento das infecções e mortes é consistente, os estados anunciam a cada dia mais medidas restritivas para tentar conter a disseminação do vírus, como lockdowns e toques de recolher, e divulgam a inexistência de leitos de UTI e a incapacidade do sistema de saúde para atender a todos os doentes graves. Os senadores manifestaram pesar e preocupação pela situação crítica a qual o país atingiu e fizeram um minuto de silêncio durante a sessão plenária de quarta-feira.

“Vivemos um dos momentos mais tristes da história recente do Brasil. Chegamos ao pior momento da pandemia. Foram 1.840 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. Um recorde trágico que expõe a falha do Brasil em combater esse mal. Minha solidariedade a todos os brasileiros em luto”, publicou o senador José Serra (PSDB-SP) numa rede social. Inicialmente, foram divulgadas 1.840 mortes pela imprensa, mas o número final do Ministério da Saúde ficou em 1.910.

“O número de mortes por covid nas últimas 24 horas significa sete vezes a tragédia de Brumadinho, 27 voos da Chapecoense”, lamentou Rogério Carvalho (PT-SE), também em rede social.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit