Senador Eduardo Suplicy defende sua posição favorável à CPI dos Correios no Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

30 de maio de 2005

Brasil


Hoje, durante discurso e apartes que irritaram alguns colegas de partido no Senado Nacional, o Senador Eduardo Suplicy do Partido dos Trabalhadores (PT) justificou sua posição favorável à criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o suposto escândalo da empresa estatal brasileira dos Correios.

O Senador Suplicy vem sendo bastante criticado por colegas do PT pelo fato de não ter seguido a recomendação do partido e ter apoiado a criação da CPI que investiga o suposto esquema de corrupção dos Correios. Colegas de partido discursaram dizendo que têm respeito pelo senador, mas que ele errou ao não seguir a determinação do PT para retirar as assinaturas pela criação da CPI.

A Senadora Ideli Salvatti (PT-SC) disse que deveria ter sido respeitada a decisão coletiva do PT em não aceitar a CPI dos Correios. Segundo a Senadora, as decisões coletivas são sempre superiores às individuais e o pensamento coletivo deve ser sempre seguido, mesmo quando o individual aparenta num primeiro momento ser o mais correto. O Senador Tião Viana (PT-AC) apoiou a fala da Senadora Ideli Salvatti e criticou o Senador Suplicy. O Senador Delcidio Amararal (PT-MS) também criticou duramente o Senador Eduardo Suplicy.

O Senador Eduardo Suplicy disse a respeito de sua decisão em contrariar o partido PT e defender a CPI dos Correios: Tomei a decisão que minha consciência determinou. Tudo o que se passou ao longo destas duas semanas e, especialmente na última quarta-feira, ao receber a comunicação de apoios por minha assinatura vindos de todos os cantos do Brasil, sobretudo da enorme base petista que tanto contribuiu para me eleger senador, levou-me à decisão de assinar a CPI.

O Senador Suplicy ainda acrescentou que tomou sua decisão para o bem do Presidente Lula.

O Senador Suplicy também discordou da fala da Senadora Ideli Salvatti e citou o filme "A Queda", sobre Adolf Hitler. Ele afirmou: "Adolf Hitler foi eleito pela maioria do povo alemão. Há ocasiões na história que mesmo uma maioria pode errar."

Durante sua fala, em certo momento supostamente a colega de partido Senadora Ideli Salvatti sentiu-se desconfortável com aquilo que o senador dizia. Ao perceber sua reação, o Senador Suplicy perguntou:" Vossa Excelência prefereria que nosso diálogo fosse apenas entre nós na bancada? Eu por mim tornaria as reuniões de bancada abertas, transparentes, poderiam ser gravadas em notas taquigráficas. Eu não tenho receio algum se eu puder dizer as coisas que eu penso."

O Senador Suplicy disse que teve receios de que se não tivesse apoiado a criação da CPI, o governo teria tido sucesso em barrar a sua instauração. O Senador disse que fez isso com o objetivo de ajudar o governo, porque acredita que não se deve temer as investigações, e que a CPI no momento é a melhor forma para obter esclarecimentos em relação às suspeitas de corrupção.

Ver também

Fontes

Áudio

Atualizado em 13 de junho de 2005 por Carlosar. Acrescentada a categoria "Crise política ameaça governo Lula".. Para maiores informações veja o histórico.