Saúde da Dilma Rousseff é estável e deixa Hospital Sírio Libanês em São Paulo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, em entrevista na Base Aérea,após embarque do presidente Lula para uma viagem de nove dias a três países, em 15 de maio de 2009
Foto:Roosewelt Pinheiro/Agência Brasil

20 de maio de 2009

São Paulo, SP, Brasil —

O estado de saúde da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, é estável “com uso de medicação analgésica”, segundo informou o Hospital Sírio-Libanês.

Segundo o boletim divulgado às 11h40, Dilma está internada desde a madrugada de ontem (19) para tratar de dores nas pernas “causada por quadro de miopatia [problemas nos músculos]".

A nota, assinada pelos médicos Antônio Carlos Onofre de Lira e Riad Younes, não fala de previsão de alta.

O boletim divulgado há pouco pelo Hospital Sírio-Libanês afirma que houve melhora no quadro clínico da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Ela deve deixar a unidade às 13h30, quando deverá falar à imprensa.

A ministra estava internada desde a madrugada de terça-feira (19) em decorrência de dores musculares nas pernas (miopatia). Ela está se submetendo a sessões de quimioterapia para o tratamento de um câncer no sistema linfático.

Hospital Sírio Libanês

Exames médicos apontaram que uma reação à suspensão brusca do medicamento cortisona provocou as fortes dores musculares sentidas pela ministra na segunda-feira (18). Em consequência disso, ela foi internada na madrugada de ontem (19) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

“Eu tomei cortisona em doses muito altas nos dias 16, 17 e 18 [deste mês]”, lembrou Dilma. Depois, acrescentou, elas caíram bruscamente e foram suspensas. “Aí, tive essas dores musculares muitos fortes.” A ministra foi levada de avião, na noite de segunda-feira, de Brasília para São Paulo.

Dilma deixou o hospital agora há pouco, assegurando que se sente muito bem. No entanto, ela disse que há a possibilidade de cancelar a agenda prevista para o próximo fim de semana. A ministra não informou se passará a noite em São Paulo ou se retornará ainda hoje (20) para Brasília.

A ministra considerou “de mau gosto” usar os seus problemas de saúde para fazer especulações sobre seu futuro político. Ela também agradeceu a solidariedade que recebeu durante sua internação. “Agradeço às pessoas que rezam e torcem por mim.”

Ela também falou sobre a queda de cabelos causada pela quimioterapia. Dilma disse que está usando “uma peruquinha básica.”

Desde o mês passado, Dilma está fazendo tratamento contra o linfoma – tipo de câncer. Ela passou por uma cirurgia para extraí-lo e agora submete-se a uma quimioterapia.

Matéria Relacionada

Fontes