Rosa, a primeira Super Lua do ano

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

26 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Uma Lua Rosa em 2008 (a cor é apena uma homenagem à primavera do Hemisfério Norte)

Por Tempo Pt - Meteored

Uma Super Lua é nada mais do que uma Lua cheia conhecida como Perigeu. Tentando simplificar este termo, uma vez que a órbita da Lua à volta da Terra é elíptica, e varia entre 356.000 e 406.000 quilómetros, faz com que o satélite fique, por vezes, mais próximo ou mais distante da Terra. A este facto chama-se perigeu, a fase em que a Lua se torna cheia ao mesmo tempo que a sua órbita está mais próxima do nosso planeta.

Na madrugada desta terça-feira, dia 27, acontece um dos fenómenos lunares mais raros, e por isso, um dos mais especiais. É a primeira Super Lua do ano 2021, chama-se Rosa e poderá ser vista a olho nu.

Às 4h30 de Portugal Continental [e pelas 19h no Brasil], a Super Lua estará a pairar sobre o firmamento e será apenas a primeira Super Lua que nos reserva este ano. A Lua vai estar então no ponto mais mais próximo da Terra e é a primeira Lua cheia da Primavera, dois fenómenos que fazem desta a maior e mais brilhante Lua do ano.

Quanto ao nome, Ricardo Reis, técnico do Planetário do Porto, explica que não significa que a Lua fique tingida dessa cor. A nomenclatura popular para esta Lua cheia, que coincide com a estação do ano em que nos encontramos, a Primavera, e representa o florescimento das flores. O único fenómeno que pode fazer alterar a cor da Lua são os eclipses – quando a terra está entre o Sol e a Lua, ficando com uma tonalidade avermelhada, explica o especialista.

Porque é que a vamos ver maior?

Qualquer Lua cheia nasce quando o Sol se está a pôr e por sua vez, põe-se, quando o Sol está a nascer. Daí ela estar visível toda a noite. Quando uma Super Lua cheia está mais próxima do horizonte ela parece gigantesca, dando a sensação de estar maior e isto acontece por termos objetos de comparação, como as árvores, ou prédios, parecendo sempre maior, embora fisicamente não esteja.

Desta vez, porque é “especial”, além deste efeito, que é psicológico, há ainda o efeito físico. Como estará mais próxima da Terra, está efetivamente um pouco maior.

Para os mais curiosos que queiram assistir a este fenómeno, é importante que o céu esteja limpo para que a vejamos na sua plenitude. Deve-se escolher qualquer local que tenha o horizonte límpido e baixo, situado a nascente, ou então através do telescópio virtual do Observatório Astronómico Bellatrix, em Itália. O direto vai ser transmitido no dia 26 de abril a partir das 18h15, hora de Lisboa.

No entanto, a 26 de maio haverá uma segunda Super Lua, que terá o atrativo acrescido de ocorrer durante um eclipse total da própria Lua. Por norma, acontecem duas ou três Super Luas por ano e, regra geral, são em meses consecutivos, devido à ligeira diferença entre a duração do mês e a duração do período lunar.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit