Ex-diretor e CartaCapital terão que indenizar comentarista político por chamarem de “fascista”

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

8 de outubro de 2017

Em uma postagem de vídeo na plataforma de vídeos YouTube na última quinta-feira (5), o jornalista, comentarista na TV Iguaçu (afiliada ao SBT no Paraná) e político Paulo Eduardo Martins (PSDB-PR), anunciou que foi informado pelo seu advogado, de que a revista CartaCapital (editada pela Editora Confiança) e o ex-editor da revista, Lino Ito Bocchini, foram condenados pelo Tribunal de Justiça do Estado do Paraná a pagarem indenização por danos morais, em uma publicação feita há três anos atrás.

A revista CartaCapital publicou em uma reportagem no início de 2014 (assinada por Lino Bocchini) em que culpava Silvio Santos (dono do canal de televisão, SBT) pela ascensão de jornalistas críticos ao então Governo Dilma Rousseff aos quais se referiam como “fascistas”, citando como exemplo, o nome Paulo Eduardo Martins, alegando o abuso no uso das concessões de TV. Ao souber do conteúdo publicado, Martins moveu ação judicial contra a revista e o editor em Curitiba (onde tem residência fixa).

Segundo o advogado Frederico Gonçalves (que defende Martins) a condenação pelo uso da palavra “fascista” contra alguém é a primeira no Brasil, porém, Martins não entrou com ação criminal contra a CartaCapital. O advogado conta que também vem cuidando de outras ações do gênero, entre elas uma de Olavo de Carvalho. Paulo Eduardo Martins encerrou o vídeo dizendo, ironizando o nome da revista:

Você que é chamado de fascista sem razão alguma, processe e não tenha medo de processar, porque a jurisprudência do Tribunal do Justiça do Paraná é válida e é sólida. Divirtam-se processando todos aqueles que ofendem vocês, enquanto isso, eu vou me divertir com o capital que vou receber da carta.
Paulo Eduardo Martins

Em fevereiro último, os apelados (CartaCapital e Lino Bocchini) tentaram absolvição no processo movido por Paulo Martins, mas a Justiça do Paraná rejeitou todos os argumentos dados por eles e manteve condenação em primeira instância.

Histórico[editar]

Em um caso similar e o segundo no país, aconteceu em 24 de junho último (só noticiado em 1º de agosto) foi com Miguel Nagib (idealizador do Escola sem Partido) contra Mauro de Salles Aguiar (diretor do Colégio Bandeirantes, localizado na cidade de São Paulo).

Em um debate em vídeo feito pelo jornal Folha de São Paulo ocorrido no ano passado (2016), Mauro Aguiar, critica a Escola sem Partido por alegar que ele é autoritário e em seguida passa atacar-o pessoalmente chamando de fascista. Após souber o debate e seu conteúdo, Nagib entrou na Justiça contra Aguiar e conseguiu indenização por danos morais, além de existir outro processo em área criminal, pois está processando o diretor de escola da capital paulista por injúria (crime contra a honra).

Em abril, a revista CartaCapital foi acusada de receber dinheiro da Odebrecht, segundo investigações da Operação Lava Jato, como também receber pautas a pedido do réu por sete vezes Luiz Inácio Lula da Silva. Em troca, a revista atacava os críticos do Partido dos Trabalhadores e da esquerda brasileira, um comportamento questionável para padrões jornalísticos.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati