Reunião para definir votação de projeto que reduz desoneração termina sem acordo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

14 de julho de 2015

Brasília —

Terminou sem acordo a reunião do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), com líderes partidários e o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, hoje (14). O principal motivo do encontro era tentar definir se o projeto de lei que reduz a desoneração na folha de pagamento das empresas entraria na pauta de votação desta semana no Senado.

A partir de sábado (18), o Congresso entrará em recesso parlamentar.

Além do projeto, outras matérias de interesse econômico que podem ter impacto no ajuste fiscal entraram na pauta da reunião.

Segundo o ministro da Fazenda, está sendo estudada uma forma de o Senado acelerar a votação do o projeto de regularização de recursos lícitos que estão no exterior. “Foi uma reunião muito produtiva, evidentemente a ação toda é do Senado, mas fiquei muito satisfeito de poder defender a necessidade de aprovar algo que já foi amplamente discutido. Então acho que os resultados devem ser bastante produtivos”, afirmou Levy.

Apesar do tom otimista do ministro, o presidente do Senado anunciou que não houve acordo sobre nenhum dos temas tratados, mas garantiu que a Casa vai trabalhar até o fim desta semana em busca de avanços nesses temas. “Não há ainda acordo, mas estamos trabalhando para começar a apreciar essas matérias tão importantes para o país”, disse Renan ao sair do encontro.

Segundo ele, o projeto que faz alterações no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) deverá ser tratado primeiro nas comissões permanentes do Senado e, depois, será definido um calendário para a votação no plenário. “A partir daí, nós possamos trazer a matéria para a ordem do dia do plenário. Estamos trabalhando para fazer isso rapidamente”, disse.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati