Rússia não paga dívida internacional pela primeira vez em um século

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

28 de junho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A Rússia se aproximou no domingo do calote nos pagamentos da dívida internacional pela primeira vez em um século.

Os pagamentos de juros totalizando US$ 100 milhões em dois títulos venceram originalmente em 27 de maio, mas tiveram um período de carência de 30 dias.

A Rússia tem lutado para fazer esses pagamentos devido a restrições em suas atividades financeiras e sanções impostas em resposta à invasão da Ucrânia em fevereiro.

O ataque da Rússia à Ucrânia continuou no domingo, quando as forças russas lançaram novos ataques com mísseis nas duas maiores cidades da Ucrânia, a capital de Kyiv e Kharkiv.

O prefeito de Kyiv, Vitali Klitschko, disse que pelo menos dois prédios de apartamentos na cidade foram atingidos, deixando pelo menos uma pessoa morta e outras quatro feridas.

A Rússia aumentou seu uso de mísseis de cruzeiro, atingindo alvos no noroeste da Ucrânia. Sirenes de ataque aéreo soaram em várias cidades.

“É mais a barbárie deles”, disse o presidente dos EUA, Joe Biden, sobre o ataque russo a Kyiv, ao comparecer em uma cerimônia de boas-vindas do G-7 com o chanceler Olaf Scholz da Alemanha.

A invasão da Ucrânia pela Rússia é o foco principal da cúpula. O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy deve discursar na reunião na segunda-feira.

Biden disse que os Estados Unidos e as outras economias do G-7 proibirão a importação de ouro russo, a mais recente sanção imposta à Rússia em resposta à invasão da Ucrânia, agora em seu quinto mês.

Os líderes das nações do G-7 – Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos – estão tentando manter a unidade contra a Rússia, mesmo com o crescente impacto da invasão na economia global, inclusive nos EUA , que enfrenta uma alta de quatro décadas nos preços ao consumidor.

O novo ataque a Kyiv ocorreu um dia após a retirada das tropas ucranianas da cidade oriental de Sievierodonetsk, uma grande vitória para a Rússia após semanas de combates ferozes.

A Rússia agora controla praticamente toda a província de Luhansk, parte da região leste de Donbas, um de seus principais objetivos de invasão.

A Ucrânia disse que as forças russas ocuparam totalmente Lysychansk, uma cidade vizinha de Sievierodonetsk, na região leste de Luhansk. Moscou alegou ter cercado cerca de 2.000 soldados ucranianos na área.

Fontes