Quênia remove restrições da COVID-19

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

11 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Quênia suspendeu as medidas de prevenção do COVID-19, incluindo o uso de máscaras em público e restrições a reuniões, depois de sustentar uma taxa de casos de positividade inferior a 1%.

Ao anunciar o fim das medidas na sexta-feira, o ministro da Saúde do Quênia, Mutahi Kagwe, disse que, entre outras disposições, as pessoas estão isentas de usar máscara facial em público.

“Houve muito debate e discussões sobre o uso contínuo de máscaras como uma das medidas de contenção. O uso obrigatório de máscaras em espaços públicos abertos agora foi suspenso”, disse Kagwe.

Como o resto do mundo, o Quênia impôs o uso obrigatório de máscaras no início de 2021 para combater a disseminação do novo coronavírus. O não uso de máscara acarretava uma multa de até US$ 200.

O ministério pediu ao público na sexta-feira que continue a lavar as mãos e o uso de desinfetantes para as mãos para reduzir a propagação do vírus na comunidade.

Kagwe pediu às pessoas que mantenham distância das outras e usem máscaras para evitar serem infectadas.

“As pessoas são incentivadas a manter o distanciamento social e evitar aglomerações em espaços públicos para garantir que o risco de propagação seja limitado. No entanto, incentivamos o uso de máscaras em todas as funções internas”.

A nação da África Oriental vacinou pelo menos 16 milhões e meio de pessoas até agora. Mais de sete milhões de pessoas estão totalmente vacinadas. Mais de 26 milhões ainda não receberam uma única dose da vacina contra COVID-19.

O Quênia é um dos cinco países, com a ajuda da União Africana, a se beneficiar do estabelecimento de uma instalação que produzirá outras vacinas.

Fontes