Princesa Martha Louise da Noruega diz que foi ameaçada de morte por namorar homem negro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

6 de junho de 2020

Martha Louise em 2019/Imagem meramente ilustrativa


Em meio aos protestos pela morte de George Floyd durante uma operação policial nos Estados Unidos, que já duram mais de 10 dias, a princesa Martha Louise da Noruega fez um longo desabafo em seu Instagram ontem onde escreveu sobre racismo. Ela iniciou escrevendo que “ser namorada de Durek me deu um curso intensivo sobre como a supremacia branca está no jogo e a maneira como consciente e subconscientemente pensei e agi em relação aos negros. Como tomei meus direitos como garantidos - nunca olhei corretamente o que realmente é o racismo, porque me senti confortável com o sistema em vigor. (...) O racismo não é apenas o óbvio (eu pensava que era), da discriminação aberta, dos maus-tratos e da matança de negros, que é fácil e óbvio. Está nos detalhes (dos quais eu ainda não tinha ideia). (...) É a maneira como as pessoas evitam Durek. Como os amigos assumem que ele mente sobre tudo. Que ele é mau por ser gentil. As palavras murmuraram baixinho, deixando perfeitamente claro para ele que ele não tem um lugar natural à mesa. Pessoas em lugares altos dizendo: ‘Como você se atreve a pensar que eu tocaria sua mão?’.”

Ela também escreveu que a “a imprensa o apresenta como um mentiroso, um homem violento e uma ameaça para minha família e para mim, compartilhando histórias sem verificar os fatos, porque apóia o sistema de crenças já existente sobre ele. Isso é racismo!”

Além disto, Martha também relatou que tanto ela como o namorado já foram ameaçados de morte. “Fomos informados semanalmente de que envergonhamos nosso povo e nossa família por escolher um ao outro”, adicionou.

Martha Louise e o xamã afro-americano Durek Verret, que tem em sua cartela de clientes a atriz Gwyneth Paltrow, namoram há cerca de um ano e meio, e a relação dos dois já causou diversas polêmicas, entre elas a envolvendo a promoção de um ciclo de palestras, chamado “A princesa e o xamã”, que obrigou Martha a renunciar ao uso do título de “princesa” em atividades que não fossem ligadas à Casa Real da Noruega. Outros escândalos se referem a Durek ser bissexual, tendo um ex-namorado dito ano passado que não tinha nada de agradável para falar sobre ele, e ao fato dele dito em 2019 que poderia curar câncer com o uso do poder da mente, o que foi contestado veementemente por cientistas noruegueses.

A princesa havia sido casada entre 2002 e 2016 com o escritor e pintor Ari Behn, com quem teve três filhas. Ari se suicidou no Natal passado.


Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com