Presidentes do México e da Argentina exigem ação da ONU contra a monopolização de vacinas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Andrés Manuel López Obrador

24 de fevereiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Andrés Manuel López Obrador e Alberto Fernández, presidentes do México e da Argentina, se manifestaram a favor da luta mundial contra o acúmulo de vacinas contra COVID-19 que alguns países têm feito. López Obrador indicou diretamente às Nações Unidas que fiquem na expectativa diante dos países do mundo que monopolizam a maioria das vacinas disponíveis.

“Acreditamos que é necessário que a ONU intervenha mais para garantir que todos os países do mundo tenham acesso às vacinas. Apresentamos uma resolução na ONU há seis meses que foi aprovada quase que unanimemente com esse propósito de evitar o entesouramento de medicamentos e vacinas, porque se tratam de direitos humanos, direito à saúde, direito à vida, que são os principais direitos humanos ”, afirmou o presidente mexicano.

López Obrador afirmou que no mundo apenas 80 países que têm a vacina 10 estão concentrando 80 por cento, excluindo hoje do acesso à vacina cerca de 100 países. “Onde está a fraternidade universal?” Disse o presidente mexicano.

“Quero acompanhar a gestão do México em favor da universalização da vacina e quero acompanhar as reclamações do México sobre a forma como a vacina foi monopolizada em uma dezena de países em detrimento de muitos outros”, destacou Fernández.

A declaração ocorreu no Palácio Nacional do México, no marco da visita de Estado de Alberto Fernández ao México.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit