Polêmica no Brasil sobre uso de cartões corporativos por integrantes do governo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

31 de janeiro de 2008

Brasília, Brasil

Está a causar polêmica no Brasil o uso dos chamados cartões corporativos por funcionários do governo.

Segundo a Folha de S. Paulo, Matilde Ribeiro, ministra da pasta da Igualdade Racial, foi convidada ontem a ir ao Palácio do Planalto conversar com o Presidente Lula sobre a sua saída do governo, por causa do suposto mal uso dos cartões corporativos.

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) comandou a reunião que teve ainda presença de Franklin Martins (Comunicação), José Múcio Monteiro (Relações Institucionais), Jorge Hage (CGU) e Paulo Bernardo (Planejamento).

A própria ministra disse que foi irregular o gasto de R$ 461,16 com o cartão em um free shop e que o valor já teria sido devolvido. Outras irregularidades teriam sido percebidas pela Controladoria Geral da União, entre elas: o aluguel de carros (gasto de mais de R$ 110 mil) além do pagamento de um restaurante no valor de mais de R$ 5 mil.

Se for comprovada irregularidade, os ministros disseram que ela pode ser obrigada a devolver o dinheiro.

O ministro da Pesca Altemir Gregolin também está sendo criticado pelo suposto mal uso dos cartões corporativos. Ele teria pago um almoço para uma comitiva chinesa numa churrascaria de Brasília. Segundo a Folha, o caso do ministro Gregolin não é considerado tão grave pelo governo quanto o da ministra Matilde.


Fontes