Pfizer-BioNTech diz que 3 vacinas contra COVID protegem crianças menores de 5 anos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

23 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A Pfizer-BioNTech anunciou na segunda-feira que três injeções de sua vacina COVID-19 forneceram forte proteção para crianças menores de 5 anos.

“Estamos satisfeitos que nossa formulação para as crianças mais novas, que selecionamos cuidadosamente para ser um décimo da dose para adultos, foi bem tolerada e produziu uma forte resposta imunológica”, disse o CEO da Pfizer, Albert Bourla, em comunicado.

Bourla acrescentou que as empresas estão ansiosas para “completar nossos envios aos reguladores em todo o mundo com a esperança de disponibilizar esta vacina para crianças mais novas o mais rápido possível, sujeita à autorização regulatória”.

A Food and Drug Administration dos EUA deve se reunir em junho para decidir se autoriza as injeções para crianças.

A FDA já começou a avaliar os dados da Moderna, que diz que sua vacina de dose baixa e duas doses oferece proteção para crianças pequenas.

Enquanto isso, o diretor da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse no domingo na 75ª Assembleia Mundial da Saúde que a pandemia de COVID “certamente não acabou.”

Seu alerta vem quando alguns países estão rescindindo seus mandatos COVID, assim como os casos estão aumentando novamente. “Os casos relatados estão aumentando em quase 70 países em todas as regiões”, disse Tedros. “Esse vírus nos surpreendeu a cada passo – uma tempestade que rasgou as comunidades repetidamente, e ainda não podemos prever seu caminho ou sua intensidade.”

O chefe da OMS disse que, embora mais de 6 milhões de mortes globais por coronavírus tenham sido relatadas, a agência da ONU estima que a contagem mundial seja muito maior em “quase 15 milhões de mortes.”

Tedros pediu aos países que façam todo o possível para erradicar o COVID, incluindo vacinar 70% de sua população, o que inclui 100% das pessoas com mais de 60 anos; 100% dos trabalhadores de saúde; e 100% das pessoas com condições subjacentes.

O líder da OMS alertou: “A pandemia não desaparecerá magicamente. Mas podemos acabar com isso… A ciência nos deu a vantagem.”

O Johns Hopkins informou na segunda-feira mais de 525 milhões de infecções globais por COVID e mais de 6 milhões de mortes globais por coronavírus.

Fontes