Paquistão relata surto massivo de diarreia e malária entre vítimas de enchentes

Sintomas da Malária

4 de setembro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Autoridades do Paquistão disseram no domingo que seu maior lago de água doce no sul da província de Sindh inchou a níveis “perigosos” por causa das chuvas de monção incessantes, alertando para mais inundações nos distritos vizinhos e instando os moradores a evacuarem em meio a uma previsão de novas chuvas.

O desenvolvimento levou as autoridades provinciais a fazer um corte no talude do lago Manchar para permitir que a água flua para o rio Indo nas proximidades, em vez de inundar áreas densamente povoadas.

O ministro da Informação da Província, Sharjeel Memon, disse, no entanto, que a água liberada através da brecha do lago ainda afetaria aproximadamente 125.000 pessoas.

“Foi uma decisão difícil [mas] teve que ser tomada”, disse Memon a repórteres, acrescentando que seu governo já havia tomado medidas para evacuar os moradores para um local seguro.

No domingo, o ministro da Saúde do Sindh, Azra Pechuho, observou o surto da doença na província de Sindh, a mais afetada do país.

“Mais de 134.000 casos de diarreia e 44.000 casos de malária foram relatados na província”, disse ela à TV local Dawn News.

Na semana passada, o Fundo de População das Nações Unidas disse que pelo menos 650.000 mulheres e meninas grávidas, das quais 73.000 devem dar à luz no próximo mês, estão entre as vítimas das enchentes, com muitas delas sem acesso a instalações de saúde e apoio necessário para o parto.

Notícias Relacionadas

Fonte