Pacote de medidas inicia a revitalização da zona portuária do Rio de Janeiro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

11 de maio de 2009

Rio de janeiro, RJ, Brasil

O Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos (IPP), órgão do governo municipal do Rio de janeiro, lança neste mês um pacote de iniciativas destinadas a revitalizar a zona portuária da cidade. As obras devem ganhar impulso com os preparativos para a Copa da Mundo de 2014.

A informação é do presidente do instituto, Felipe de Faria Góes. Para ele, a Fashion Rio, evento do calendário nacional da moda realizado nesta semana no Cais do Porto “é um sinalizador do início do processo de revitalização da região”.

O pacote que será lançado nos próximos dias prevê a realização de obras de reurbanização, o lançamento de um programa de habitação de interesse social, além de iniciativas culturais e turísticas.

Felipe de Góes destacou a união de esforços nas três esferas de governo para tornar realidade o projeto de revitalização da zona portuária da capital fluminense. “O projeto só é viável havendo um alinhamento e um trabalho conjunto entre os três níveis de governo, com o mesmo objetivo”, manifestou.

Serão necessários também investimentos privados e, para isso, a prefeitura está trabalhando no sentido de atrair empresas para instalação nas áreas próximas do porto. Góes enfatizou que a feira de moda Fashion Rio está podendo ser realizada no local justamente porque uma empresa privada, a concessionária Píer Mauá S/A, recuperou com recursos próprios os armazéns 1 e 2 e parte do 3 para o evento.

No mês passado, a cidade aderiu ao Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) do Ministério do Turismo. Os recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no montante de US$ 187 milhões, serão usados nos próximos anos na fase inicial do projeto de revitalização da zona portuária carioca.

Góes destacou a importância da iniciativa para o turismo da cidade, já que o porto é a porta de entrada de cerca de 500 mil turistas/ano ao Rio. A expectativa é que no próximo ano esse número chegue a 650 mil turistas que entram pela cidade do Rio via porto.

“Eu acho fundamental valorizar aquela área para que a primeira impressão do turista seja a de uma cidade acolhedora, uma cidade bonita, bem tratada e organizada”.

O projeto que será divulgado em breve demonstra também preocupação com as pessoas que moram no entorno do porto do Rio.

“Os projetos que nós pretendemos lançar consideram a reurbanização de alguns daqueles morros, como o Morro da Conceição, que é uma área histórica, onde praticamente nasceu a cidade do Rio de janeiro”. A idéia é recuperar o casario do Morro da Conceição.

Sobre o edifício do jornal A Noite, localizado na Praça Mauá, o que se pretende é promover a sua recuperação, para que ele continue ocupado pela Rádio Nacional, pela Agência Brasil e pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi).

O prédio, com 22 andares, correspondentes hoje a 30 pavimentos de um edifício moderno, em razão de seu pé direito ampliado, foi o primeiro arranha-céu da cidade. Sua construção foi iniciada na década de 20 do século passado.

“A idéia é manter a Rádio Nacional e a Agência Brasil no edifício A Noite. A nossa leitura é que o prédio merece uma recuperação interna e externa”. Góes observou, porém, que não cabe à prefeitura indicar o que vai acontecer em relação ao prédio.

Fonte[editar]


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati