Obama visita Hiroshina e se torna primeiro presidente americano em mandato a visitar cidade japonesa atingida por bomba nuclear

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

Presidente americano coloca coroa de flores no local onde foi lançada a primeira bomba atómica da história.

27 de maio de 2016

Barack Obama depositou nesta sexta-feira, 27, uma coroa de flores no local onde foi lançada a primeira bomba atómica do mundo, em 1945, e transformou-se no primeiro Presidente americano em exercício a visitar Hiroshima.

O gesto simbólico, segundo Obama, ressalta os laços entre os Estados Unidos e o Japão e dá esperanças aos esforços para abolir as armas nucleares.

Após a homenagem, o Presidente americano afirmou que os seres humanos têm "capacidade de destruição sem precedentes" e destacou quão facilmente "justificamos a violência" em nome de uma causa maior.

"As pessoas querem a ciência focada em melhorar vidas, não eliminá-las", sublinhou Barack Obama, num discurso em que voltou a defender um mundo sem armas nucleares.

"Há 71 anos, a morte caiu do céu", disse Obama, que prestou uma homenagem também a "todos os inocentes" mortos durante a 2ª Guerra Mundial.

Ao justificar a visita, defendida por uns e criticada por outros, nos Estados Unidos e no Japão, disse que foi a Hiroshima “ponderar a força terrível desencadeada no passado não tão distante” e “lamentar os mortos, incluindo os mais de 100 mil homens, mulheres e crianças japonesas, milhares de coreanos e uma dúzia de norte-americanos feitos prisioneiros. Suas almas falam connosco".

Críticos acusam os dois lados de terem memória selectiva e apontarem os paradoxos em políticas que dependem da dissuasão nuclear ao mesmo tempo em que clamam pelo fim dos arsenais atómicos.

Antes de depositar a coroa, Obama visitou um museu de peças assombrosas como fotos de vítimas com queimaduras graves, roupas esfarrapadas e manchadas que usavam e estátuas que representam pessoas com a carne derretendo nos seus membros.

"Já conhecemos a agonia da guerra", escreveu ele no livro de visitas e concluiu: "Vamos agora encontrar a coragem, juntos, para disseminar a paz e buscar um mundo sem armas nucleares".

O bombardeio a Hiroshima aconteceu a 6 de Agosto de 1945 e matou cerca de 80 mil pessoas e três dias depois, um segundo ataque tirou a vida a mais 74 mil pessoas em Nagasaki.

Apesar da breve e histórica visita, Barack Obama não pedirá desculpas pelos ataques.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati