O rapto de Madeleine McCann

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de outubro de 2007

Portugal — Comentários sobre rapto de Madeleine McCann.

Que pode ter acontecido a Madeleine McCann?[editar]

Absolutamente tudo pode ter acontecido a Madeleine McCann; seria estultice não o admitir.

Um jovem, aparentemente normal, pode ter saído de casa, percorrer a pé a Rua Doutor Agostinho da Silva, deparar-se com a porta entreaberta de um apartamento do aldeamento Oceano Clube, entrar, raptar a pequena Madeleine, matá-la e enterrá-la no jardim da sua própria casa.

Uma nave do planeta Marte pode ter aterrado no parque de estacionamento, nas traseiras do apartamento dos McCann...

As hipóteses avançadas pela imprensa cobrem todo o terreno: foi, rapto, foram os pais, foi a mãe, foram os amigos... só ainda não li nada sobre a eventualidade do crime ser obra dos gémeos Sean e Amelie.

Não é disso que trata este conjunto de crónicas.[editar]

Partindo dos (poucos) factos conhecidos, procuro escalpelizá-los, observá-los à lupa e encontrar a lógica que me permita encaixá-los na realidade, calculando-lhes as diferentes probabilidades de terem acontecido.

Este trabalho que estou a fazer aos poucos, (roubando tempo às horas de descanso e entretenimento), é o meu contributo para que Madeleine McCann possa ainda ser encontrada.

Na esperança (que sei muito ténue) de que despolete em algum leitor uma qualquer associação de ideias que leve à descoberta da verdade.

Obviamente que tudo o que escrevo se baseia nos factos que vão sendo libertados pela polícia e pelos media. Gostaria de ter acesso a alguns documentos específicos da investigação policial, de saber se determinadas diligências foram feitas; testar algumas suspeitas.

Sou apenas um cidadão que parou um pouco para pensar, um “Nero Wolfe” de algibeira. Estou a dar o meu melhor para que esta seja uma reflexão exaustiva, honesta e inteligente. Provavelmente alguns detalhes me escaparão, faço figas para que não sejam determinantes na resolução deste mistério.[1]

Notícias relacionadas[editar]

Fontes[editar]

Referências[editar]

  1. http://madeleinemaccann.blogspot.com