O primeiro discurso de Trump depois de vencer: Para os americanos, é hora de unir e nos tornar um só povo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

9 de novembro de 2016

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, adotou um tom conciliatório em seu primeiro discurso, dirigido a integrantes do Partido Republicano e seus apoiantes em um salão de baile de Nova York, onde ele passou a noite acompanhando o resultado das eleições, após a contagem dos votos não-oficiais, mostrando que marcou número suficiente de votos eleitorais para ganhar a eleição. Durante o tempo em que se dirigiu aos integrantes do partido, foi interrompido várias vezes com os aplausos do público.

Seu discurso começou gratidão de Donald Trump pelo apoio a todos os presentes e disse que a corrida presidencial, "negócio complicado". Trump reservou também algumas palavras para elogiar a conduta da candidata derrotada Hillary Clinton ao longo da campanha. Trump disse que sua adversária do Partido Democrata prestou muitos serviços ao país durante o período em que foi secretária de Estado (de 2009 a 2013) e também como senadora. Declarou ainda que os Estados Unidos tem uma "dívida de gratidão" com Hillary Clinton. Ele disse que "apenas" recebeu um telefonema dela, que felicitou vitória republicana. Em resposta, ele felicitou-a de "uma campanha muito forte" e disse que os combates "pesado", para mostrar a ela na corrida presidencial.

Dirigindo-se a todos os americanos, Donald Trump afirmou que o momento atual é de união. "É hora de curarmos as feridas da divisão", disse. "É hora de unir-se e tornar-se um só povo [americano]". Reafirmou que pedirá união a todos os democratas e republicanos e que trabalhará pelos americanos "esquecidos". "Os homens e mulheres esquecidos não serão mais esquecidos", disse.

Eu prometo que vou ser presidente para todos os americanos, é muito importante para mim. Eu também contar com o seu apoio, para que juntos podemos nos tornar um grande país.

Donald Trump

Segundo ele, o governo vai trabalhar "para o povo" e "com o povo", a fim de "renovar o sonho americano", e cada cidadão norte-americano terá a oportunidade de realizar o seu potencial:

povo esquecido jamais será esquecido.

Donald Trump

Donald Trump disse também que ele tem "um grande plano econômico", irá reconstruir a infraestrutura do país e numa referência à criação de empregos, Trump disse: "Vamos restaurar nossa estradas, pontes, hospitais, infra-estrutura. Vamos colocar milhões para trabalhar enquanto reconstruímos", disse. Segundo ele, os Estados Unidos vão "dobrar o crescimento e ter a economia mais forte do mundo", acrescentando que ele irá criar novos postos de trabalho. Ele também prometeu fazer um curso sobre o crescimento do bem-estar e renovação, para receber o benefício todos os americanos.

Sobre a relação com outros países, Donald Trump disse que os Estados Unidos vão se relacionar com os países que estiverem dispostos a manter a reciprocidade. Trump classificou sua campanha como "um incrível e maravilhoso movimento, feito de milhões de homens e mulheres que amam seu país e querem um futuro melhor". Ele agradeceu a seus pais, irmãos, mulher e seus cinco filhos. Também agradeceu ao ex-prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani; ao republicano Ben Carson, que abandonou a campanha presidencial; e ainda ao serviço secreto dos EUA e às forças de segurança de Nova York.

O candidato do Partido Republicano, Donald Trump surpreendeu o país e mundo ao vencer hoje das eleições presidenciais nos Estados Unidos, realizada ontem, já que todas as pesquisas de opinião davam ampla vantagem de Hillary Clinton (com a exerção do jornal Los Angeles Times, que foi o único veículo de imprensa a acertar que Trump venceria a eleição) e até de apoio de maioria de famosos e quase toda a imprensa americana e internacional. Sua vantagem tornou-se clara após a contagem dos votos em Wisconsin. Dada a sua vitória nesse estado, ele marcou 276 votos necessários para a vitória, seis a mais do número necessário (270).

Notícia Relacionada[editar]

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati