ONU lança relatório sobre acontecimentos ocorridos no Congo entre 1993 e 2003

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

Genebra • 11 de outubro de 2010

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Congolese soldier.jpg

Comissão de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, publicou no dia primeiro de outubro um estudo intitulado Mapping Report. Construído durante dois anos, dentre trabalho de campo e redação, com mil e quinhentos documentos e mil e oitocentos depoimentos em 550 páginas, esse reporta as atrocidades que ocorreram contra a etnia hutus na República Democrática do Congo pelos exércitos de Ruanda e de outros oitos países da região e por grupos rebeldes, entre 1993 e 2003.

O relatório diz que se avaliado de forma competente os eventos ocorridos podem ser considerados como genocídio.

Os ataques sistemáticos e generalizados revelam vários elementos arrasadores que, se forem provados em um tribunal competente, poderiam ser qualificados de genocídio

Mapping Report

O texto diz também que o exército de Ruanda contou com o apoio Aliança das Forças Democráticas para a Libertação do Congo, que tem como tinha como líder Laurent Kabila, ambas forças acusadas de inúmeros abusos contra militares e civis hutus. A desculpa utilizada para que o massacre ocorresse foi que os dois grupos estavam em procura dos responsáveis pelo genocídio a etnia tútsis, mas o relatório afirma que eles não faziam distinção para matar, sendo hutus eles assassinavam não importando se militares, ou civis, tendo participado ou não do genocídio contra os tútsis.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit