OIM e o ACNUR pedem investigação sobre a morte de 50 migrantes em um caminhão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

29 de junho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A morte de 50 imigrantes encontrados em um caminhão em San Antonio, Texas, levou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM) a lançar uma mensagem exigindo uma investigação completa sobre o caso.

“Estamos com as famílias que perderam entes queridos e pedimos às autoridades de ambos os lados da fronteira que investiguem rigorosamente e levem à justiça todos aqueles que, com seu insensível desrespeito à vida humana, contribuíram para este terrível incidente”, disse Michele Klein.

Inicialmente, 46 pessoas foram encontradas mortas no local, disseram as autoridades. Mais quatro morreram depois de serem levados para hospitais, disse o juiz do condado de Bexar, Nelson Wolff.

De acordo com a OIM, “cerca de 3.000 pessoas foram dadas como desaparecidas ou mortas ao tentar cruzar a fronteira do México para os Estados Unidos desde 2014”, a última tragédia eleva o número para 290 no primeiro semestre de 2022.

Reações dos EUA

O senador Bob Menéndez, democrata de Nova Jersey, culpou o sistema de imigração dos EUA por casos como esses e culpou o ex-presidente Donald Trump.

“Esta é uma tragédia assustadora. Essas mortes são consequência de restringir o acesso ao nosso sistema de asilo e não criar vias legais para migrantes na fronteira sul dos Estados Unidos”, disse Menéndez em comunicado.

Os republicanos, por sua vez, continuam a culpar o grande fluxo de imigrantes irregulares para a fronteira sul "devido ao presidente Joe Biden".

“Absolutamente horrível e comovente”, lamentou o senador republicano do Texas Ted Cruz, que acrescentou em um tweet: “Os contrabandistas de humanos estão explorando a fronteira aberta e os mais vulneráveis ​​estão pagando com suas vidas. Tragicamente, o presidente Biden e os democratas continuarão a ignorar a crise".

O presidente Biden, após uma primeira mensagem de condolências na segunda-feira, disse na terça-feira: "Meu governo continuará fazendo todo o possível para impedir que traficantes criminosos explorem migrantes".

Fontes